Helena Coelho, Lisboa

Psicóloga Clínica na PsicoMindCare – Associação de Psicologia, de onde é sócia fundadora e, actualmente, Directora Clínica.

Comecei como técnica de psicologia clínica na consulta de pedopsiquiatria do Hospital de Santa Maria. Passei por um Centro de Saúde e, recentemente, abracei um projecto que visa possibilitar o acompanhamento psicológico a quem precisa e não tem elevados recursos económicos.
Uma das minhas características é ser determinada e dificilmente desistir dos meus objectivos. E porque “o sonho comanda a vida” tenho feito os possíveis para não deixar morrer a criança sonhadora que há em mim. Como é bom sonhar! E como é bom ajudar os outros a serem capazes de sonhar, a conseguirem perceber que podem conduzir a sua vida, de forma mais saudável e mais positiva!

Compreender o ser humano, perceber os seus comportamentos e sentimentos é algo que me fascina, quase tanto como perceber as mudanças que vão ocorrendo pela intervenção psicológica. É, para mim, um privilégio poder ser facilitadora dessa mudança e do conhecimento próprio.

No meu trabalho, enquanto psicóloga, é basilar aceitar e respeitar a singularidade de cada pessoa. Naquele momento e naquele espaço, apenas aquela pessoa importa. E é num contexto terapêutico contentor e pela relação terapêutica, desprovida de qualquer juízo de valor, que as emoções emergem podendo, então, ganhar novos contornos. Trata-se de ver para além do que nos é mostrado, ouvir para além do que nos é dito e devolver novos significados. No fundo é fornecer o papel e a tinta específica para cada pessoa, já que o artista, aquele que cria e transforma, está dentro de cada um de nós.

Para além de gostar de ser psicóloga, gosto de viajar, de ler e de escrever, de tertúlias com os amigos, de estar em família e de estar totalmente relaxada no sofá, sem fazer nada. No meu percurso de vida, tive o enorme privilégio de ser mãe. Sou o que sou pelo amor que recebi, que recebo e, que por isso, consigo dar. A minha família é, para mim, o solo afetivo e o substrato que enriquece a minha existência.

O ideal que ilumina a minha vida é acreditar! Acreditar que cada pessoa é capaz, que o que separa o que fazemos do que queremos é, tão simplesmente, acreditar que vamos conseguir. E foi com esse estado de alma que, conjuntamente com 8 colegas, fundámos em 2012 a Psicomindcare, uma associação de psicologia sem fins lucrativos que pretende ser e fazer diferente.