adolescentes resilientes

10 dicas para criar crianças e adolescentes resilientes

Todos nós enfrentamos traumas, adversidades e outros stresses. Aqui está um roteiro para ensinar os seus filhos a adaptarem-se a situações de mudança de vida e emergirem mais fortes.

10 dicas para criar crianças e adolescentes resilientes

infância é o período da vida humana desde que se nasce até à puberdade/adolescência. Quando falamos de infância tendemos a identifica-la como uma fase despreocupada da vida. Mas o ser criança, por si só, não protege ninguém dos traumas emocionais, ou eventos traumáticos que muitos enfrentam, tais como a adaptação a uma nova escola, o bullying ou até mesmo violência doméstica (isto para não falar das questões próprias do crescimento).

A capacidade de superar estas adversidades, de encontrar soluções depende das habilidades de resiliência de cada um.

O que é a resiliência?

resiliência é um conceito psicológico (…), definido como a capacidade de o indivíduo lidar com problemas, superar obstáculos ou resistir à pressão de situações adversas – choque, estresse etc. – sem entrar em surto psicológico. (Wikipédia)

Resiliência não é uma qualidade inata e não é genético, embora possa haver uma tendência genética que pode predispor a ter um “bom caráter”. Resiliência é uma característica que todos podemos desenvolver ao longo da vida. Algumas pessoas são resistentes porque tiveram nos pais ou alguma referencia muito próxima um modelo a seguir, outros desenvolvem o seu caminho sozinhos, o que significa que tiveram de ultrapassar adversidades, sentir o gosto do fracasso e nunca ter desistido. À beira do abismo, deram o seu melhor e desenvolveram as habilidades para enfrentar os vários desafios da vida.

A boa notícia é que a resiliência aprende-se. A resiliência desenvolve-se.

Construir a resiliência pode ajudar os nossos filhos a gerir o stress e sentimentos de ansiedade e de incerteza, a aprender a enfrentar adversidades de peito erguido e ter uma maio capacidade para lidar com a desilusão. No entanto, ser resiliente não significa que a criança não venha a sentir desgostos e angustias. A dor emocional e a tristeza são comuns quando sofremos algum trauma ou perda pessoal, ou mesmo quando se trata de uma perda de outra pessoa. A inteligência emocional é também uma característica a desenvolver nas nossas crianças.

Desenvolver a resiliência é uma jornada pessoal e cabe a nós pais, ensinar e orientar os nossos filhos na sua jornada.

Como promover a resiliência nos adolescentes

Ficam aqui 10 dicas úteis para criar crianças resilientes:

  • Fazer amigos

Ensine ao seu filho a importância de uma amizade. O que é a empatia e como se partilham as tristezas dos amigos. Encoraje-o a ser amigo do seu amigo. É importante ter uma rede familiar forte que o ajude a superar as suas angústias. Fique atento ao que se passa na escola para que não se isole. Relacionar-se com outros miúdos fortalece a capacidade de resistência. Insira-o em grupos: quer seja um grupo religioso, de escuteiros, ou um grupo de desporto.

  • Ajudar os outros

Ensine-lhe a importância de ajudar alguém. Crianças que se sentem “postas de parte” podem tornar-se mais confiantes se ajudarem os outros. Sugira que se faça um brainstorming na sala de aula para perceber como em conjunto podem ajudar os outros. Ensine-o a fazer voluntariado apropriado para a sua idade. Peça-lhe que o ajude em pequenas tarefas para que se sinta mais útil.

  • Rotina Diária

Estabelecer uma rotina diária é extremamente importante para uma criança se sentir segura. Saber o que vai acontecer a seguir transmite-lhe confiança. Encoraje o seu filho a criar também ele a sua própria rotina. A arrumar a mochila, a organizar o material depois de estudar, etc.

  • Fazer uma pausa

Toda a regra tem uma exceção. Embora seja importante manter uma rotina, andar a “toque de caixa” e estar sempre a cumprir horários pode ser contraproducente. Ensine o seu filho a abstrair-se dos seus focos de preocupações. Esteja ciente das coisas que o seu filho vê e ouve, quer sejam notícias, internet ou até conversas de adultos que ele não tenha maturidade para compreender, e lhe cause alguma preocupação ou medo.

  • Cuidar de si próprio

Seja um bom exemplo e transmita-lhe a importância de fazer refeições completas e nutritivas, de fazer exercício e de descansar. Certifique-se que o seu filho tem tempo para brincar e tempo de ócio para relaxar. Cuidar de si próprio e ter tempo de brincadeira vai ajuda-lo a saber lidar com situações stressantes que possam aparecer.

  • Criar metas e Objetivos

Ensine o seu filho a criar objetivos realistas e a alcança-los. Trabalhar na direção dos objetivos propostos mesmo que lentamente, ser encorajado a continuar, e elogiado pelos seus pequenos feitos, ajuda a construir resiliência e a ser capaz de enfrentar novos desafios. Na escola, em objetivos a longo prazo, dividir tarefas e transformar em objetivos a curto prazo mais fáceis de alcançar. Para que sintam o sabor da vitória em pequenas doses e continuem a ser esforçados.

  • Desenvolver a autoestima

Ajude o seu filho a recordar-se de situações difíceis que ele ultrapassou com sucesso, e mostre-lhe como essa aprendizagem lhe deu bagagem para lidar com outros desafios futuros. Que está preparado e que consegue. Ensine-o a ter confiança em si próprio para tomar decisões e resolver problemas a curto e a longo prazo. Acreditar em si é essencial. Ensine-o a compreender o humor das situações e a capacidade de saber rir de si próprio. Na escola, ajude as crianças perceber que o seu bom desempenho contribui para o bom desempenho da turma enquanto um todo.

  • Ser Otimista

Ver o copo meio cheio é um dos segredos das pessoas resilientes. Ajude o seu filho a ter uma visão otimista e positiva. Aplique a psicologia positiva. Isso vai ajuda-lo a ver as coisas boas da vida e continuar mesmo nos momentos mais difíceis. Irá aprender a não desistir assim que uma situação se torne mais difícil ou mais complicada. Na escola, usar a História para mostrar que a vida segue em frente mesmo depois de acontecimentos marcantes.

  • Conhecer-se a si próprio

Muitas vezes é perante adversidades que as pessoas aprendem a conhecer-se. Ensine o seu filho que perante uma situação menos boa pode e deve aprender a conhecer-se a si próprio. Na escola, pode propor uma discussão sobre, o que as crianças aprenderam depois de enfrentarem uma situação complicada.

  • Aceitar as mudanças

Tornar-se adaptável. Mudar, muitas vezes pode ser assustador para crianças e adolescentes. Ajude seu filho a ver que a mudança é parte de vida e novas metas podem substituir metas que se tornaram inalcançáveis. Na escola, mostrar como os alunos mudaram conforme foram passando de ano, e falar sobre o impacto dessa mudança.

Fonte APA

Traduzido e adaptado por Up To Kids®
Todos os direitos reservados

Revista digital destinada a pais e educadores de crianças incríveis! 😀
Digital Magazine , Up To KIds

Contamos com mais de uma centena de especialistas que produzem conteúdos na área da saúde, comportamento, educação, alimentação, parentalidade e muito mais.  Acreditamos em Pais reais, com filhos reais. 

1 thought on “10 dicas para criar crianças e adolescentes resilientes

Gostou deste artigo? Deixe a sua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.