5 atividades que devemos fazer com as Crianças

5 atividades que devemos fazer com as Crianças

Há atividades que podemos e devemos realizar co os nossos filhos, e que permitirão transmitir lições para a vida. Ficam as dicas.

5 atividades que devemos fazer com as Crianças

1 – Jogar dominó

Coloquem peças de dominó em pé, em fila, de modo a que se a primeira for derrubada com um toque, derruba as outras até que todas sejam derrubados. Depois de umas gargalhadas, vá aproveitando para ajudar a Criança a refletir.

Na vida, tudo tem consequências. Também os comportamentos da Criança terão consequências. Como a queda de uma peça tem como consequência a queda da peça da frente.

2 – Joguem ao “Rei Manda”.

Conhece o jogo, certo?

Depois, ajude a Criança a perceber que na vida também vão existir situações onde alguém, por exemplo um adulto em quem os Pais/Famílias confiam, estará em posição de liderança.

Saber ser liderado é importante. O trabalho de equipa é fundamental, mas nas grandes equipas também há momentos de alternância dos líderes. Ao longo da vida, as Crianças vão encontrar, por exemplo, Professores, Educadores de Infância e Auxiliares que devem ser respeitados. Os líderes inspiram pelas suas atitudes. Saibamos estar atentos a elas.

3 – Conte-lhe esta mini-história:  

“Era uma vez um menino que recebeu um Papagaio no Natal. Não era daqueles papagaios que falavam, mas daqueles que se soltam no céu. O pai prometeu que na manhã seguinte iriam ao parque, soltar o Papagaio ao vento. O menino demorou a adormecer, porque estava ansioso. No dia seguinte, bem cedo, lá foram. Mas naquele dia não havia vento nenhum. Por mais que corressem, o papagaio não ficava a voar. O pai estava mais triste do que o menino. Ao ver o seu pai assim, o menino disse :”Pai, nem sempre podemos ter o que queremos. Não há vento. Amanhã tentamos outra vez. Agora vamos brincar a outra coisa.”. 

Também com as Crianças pequenas há altura em que, com calma, devemos ser imperativos, sim. E não precisamos de explicar sempre “os porquês”. Na vida também há dias sem vento. É a vida.

4 – Faça a barba em frente ao seu filho.

Use facas afiadas na cozinha em frente aos seus filhos. Deixo-os ver. Pode falar-lhe nos perigos desses e de outros objetos, quando mal utilizados. Falem sobre isso. Depois, o seu papel é guardar as lâminas e as facas em locais seguros.

Impedir que vejam objetos perigosos é contraproducente, até porque o fruto proibido…

5 – Apague as luzes e pegue numa lanterna.

Vá apontando para os diferentes objetos da sala. Quando estes ficam iluminados, vão dizendo os nomes deles.

Ajude as Crianças a entenderem que a atenção é como um foco. Devemos tentar focar onde queremos. E devemos tentar focar no que nos ajuda a crescer, como por exemplo, nos nossos esforços, nas nossas forças e nas nossas virtudes. Ajude o seu filho a descobrir as suas forças. Não se limite a querer que ele não se zangue ou que não diga palavrões. Vá além. Fale-lhe do livre arbítrio (de ter a lanterna na mão) e fale do poder que tem de iluminar os outros e o mundo com o seu sorriso.

Vamos tentar sempre ser o exemplo. Mas o exemplo de esforço, não da perfeição.

O exemplo de quem tenta, não de quem é infalível. Vamos tentar ser o exemplo, porque estamos sempre a aprender e não porque não erramos. Precisamos que as nossas Crianças cresçam com capacidade de lidar com as mudanças, aprendendo a aprender e ultrapassando obstáculos em direção ao bem-estar.

Gosto de iniciativas “sem tretas” e com alma. Como a Up to Kids, por exemplo.

A criação do Mundo Brilhante permite-me visitar escolas de todo o país e provocar os diferentes públicos para poderem melhorar. Agitamos. Queremos deixar marcas.

Concorda com este artigo? Deixe a sua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.