7 virtudes comunicacionais em sala de aula

7 virtudes comunicacionais em sala de aula

7 virtudes comunicacionais em sala de aula

Há tempos, escrevemos o artigo “7 pecados comunicacionais em sala de aula”.

Fizemo-lo porque, muitas vezes, saber o que não dizer, pode ser mais importante do que saber o que dizer.

Devido à nossa natureza independente, porque vimos da psicologia educacional e somos altamente centrados no melhor para as Crianças e Jovens, as escolas e colégios que procuram o nosso trabalho de formação, têm, pelo menos, duas característica de louvar: coragem e altruísmo.

Sem coragem, não se inova, sem inovação, não há educação. Inovação, no sentido de se estar atento às mudanças do mundo, agindo em conformidade. Nós, num mundo, em mudança abrupta e constante, para evoluirmos bem, para não assistirmos à extinção da espécie humana, para termos menos depressões e ansiedades, precisamos de uma escola corajosa para abraçar a mudança. A coragem é o antídoto para a famosa “zona de conforto”. Sair dela, pode ser difícil, e só os mais altruístas é que o conseguem fazer, porque educar bem, é ter as Crianças e Jovens, todas as Crianças e Jovens, no centro.

As abordagens de aprendizagem centradas no aluno provaram ser mais eficazes do que as abordagens de ensino centradas no professor.”(Peled et al., 2022).

No geral, em Portugal estamos muito bem.

Somos um país corajoso e altruísta, e a maioria dos Docentes também, mesmo no meio de muitas dificuldades. Mesmo que alguns Docentes tenham essas qualidades “adormecidas”, por exemplo, por causa das burocracias, do excesso de más formações e da falta de compreensão de alguns Pais, por exemplo. Nas melhores escolas e colégios há mais de 20 anos, escutamos e sentimos muitos exemplos incríveis, geralmente na privacidade da sala de qual, longe da visibilidade.

Assim, a lista de “7 virtudes comunicacionais em sala de aula”, que apresentamos, facilmente podia ter 700 pontos. Todas as frases e virtudes são inspiradas em exemplos reais, que escutei pessoalmente em escolas e colégios de norte a sul e ilhas. Testemunhar diariamente estas virtudes dos Docentes, inunda-me de esperança num mundo melhor.

7 virtudes comunicacionais em sala de aula

1 – Estimular, pelo testemunho, a raiz de todos os bens, ou seja, a empatia.

Exemplo: “Eu sei como te sentes. Também tenho áreas onde me sinto pouco capaz. Vamos juntos arranjar uma solução?”.

2 – Estimular, através da apresentação de um caso, a raiz de todos os bens, a empatia.

Exemplo: “Estão a ver esta fotografia? É uma “pessoa em situação de sem-abrigo”. Este fim de semana não quero que façam um TPC normal, mas que olhem para o mundo, olhem para o vosso bairro, e vejam as pessoas em situações semelhantes para refletirem sobre as suas dificuldades.”

3 – Ajudar a desenvolver a autoestima, falando do esforço.

Exemplo: “Os resultados são importantes, mas mais importante, para mim, é o vosso esforço. Esforcem-se. Não desistam, mostrem-me que se esforçam,…

4 – Uso de pistas não verbais que denunciam proximidade e escuta ativa.

Exemplo: Contacto visual com os alunos, “orientação corporal e facial, inclinando-se para a curta distância”, toque, postura descontraída. No fundo, o uso do corpo, como alguém que se sente à vontade nele.

5 – Falar de forma expressiva, com entusiasmo, com pausas, mudanças de tom, mudanças de ritmo.

Falar de forma clara e simples, sempre com verdade e com atenção às reações das Crianças e Jovens a cada frase.

6 – Envolver os Pais e Encarregados de Educação.

Exemplo: Enviando um boletim informativo para casa ou convidando para eventos especiais, como conversas com técnicos ou ações de formação.

7 – Tratar da sua própria saúde mental.

Nomeadamente através do investimento de tempo na experimentação de passatempos de qualidade, fazendo um esforço para ter uma vida “fora da escola”, uma vida estimulante, com interações sociais de qualidade, dando mais tempo de qualidade aos seus familiares.

Levar esse excelente exemplo para dentro da sala de aula.

Se pudéssemos colocar uma 8ª virtude, diríamos o “cultivar o sentido de humor”.

Uma pessoa bem humorada, deixa mais espaço para os outros fazerem questões. Alunos que questionam, são alunos mais competentes. Uma pessoa bem humorada, não o deve ser apenas em situações ideais, mas sim, apesar das dificuldades. É extremamente motivador quando encontro Docentes de bem com a vida. Estão cansados como todos os outros, mas, pelo que me dizem, têm um pousar a cabeça na almofada muito tranquilo.

Eu procuro sempre aprender com os melhores, deixar-me inspirar pelos melhores, não me levar demasiado a sério e não parar de querer melhorar. Por isso, vou reler estas 7 virtudes e tentar desenvolver também na minha prática.

Gosto de iniciativas “sem tretas” e com alma. Como a Up to Kids, por exemplo.

A criação do Mundo Brilhante permite-me visitar escolas de todo o país e provocar os diferentes públicos para poderem melhorar. Agitamos. Queremos deixar marcas.

Gostou deste artigo? Deixe a sua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Verified by MonsterInsights