8 dicas para o uso saudável de tecnologias em família

8 dicas para o uso saudável de tecnologias em família

Tecnologias em família: Saudável ou prejudicial?

É certo que o uso de tecnologias sem regras e limites pode apresentar-se prejudicial na vida tanto de crianças como de adultos. Os riscos e problemas associados podem ser muitos e por isso, devemos estar atentos e agir preventivamente. O objetivo passa por moderar o uso de dispositivos tecnológicos, mantendo sempre uma interação familiar de qualidade.

Deixo-lhe algumas dicas úteis para uma prática saudável das tecnologias em família:

1.Reflita sobre a importância do seu papel

Os pais apresentam um papel preponderante na educação dos seus filhos e, em especial, no que diz respeito ao uso das tecnologias. Os pais são autênticos modelos para os filhos, por isso, devem ter em atenção primeiro o seu próprio comportamento, de forma a que este não seja observado e consequentemente, replicado pela criança. É fundamental, que não sejam demasiado permissivos no uso de tablets, smartphones e outros equipamentos tecnológicos, moderando o seu uso, controlando os conteúdos visualizados e percebendo se são adequados para a idade e desenvolvimento da criança ou jovem.

2. Estabeleça regras sobre o uso de dispositivos

Realizem uma reunião familiar onde todos os elementos da família possam falar sobre o tema, envolvendo sempre a criança na decisão e permitindo-lhe sugestões. Desta forma, está a responsabilizá-la e a incentivá-la ao cumprimento do que for acordado em família.

Clarifique que existem momentos que podem ser usadas as tecnologias e outros momentos não. Poderá oficializar esse momento com uma espécie de “contrato”, onde colocarão as regras definidas por todos os membros da família e as vossas assinaturas (no fundo para tornar a ideia em algo mais sério).

3. Defina espaços e momentos onde a tecnologia é proibida

Pode criar um quadro, que fique visível para todos e onde estejam definidos os espaços e/ou momentos em que não é permitido o uso de tecnologia (e.g. durante as refeições; ao levantar; ao deitar; durante viagens).

4. Aposte na verbalização

Evite comunicar com o seu filho ou outro elemento da família através de mensagens de texto. Sempre que estejam no mesmo espaço, definam que é proibido o uso de telemóveis, de modo a não evitar que se relacionem. É extremamente importante fortalecerem os vossos laços afetivos, para que se sintam seguros e amados.

5. Substitua o tempo de tecnologias por tempo de qualidade em família

Com a expressão “tempo de qualidade” em família, pretende-se que seja um período dedicado exclusivamente à família. Um momento para estarem disponíveis e conectados a 100% às pessoas que mais gostam. Partilhem momentos divertidos, promovam conversas mais profundas e invistam na atenção, no diálogo e no afeto. Construam boas memórias em conjunto.

6. Combine eventos tech-free

Organize eventos semanais onde as tecnologias ficam de fora. Permitam-se realizar atividades em conjunto, como os jogos de tabuleiro (xadrez, damas, monopólio, batalha naval), jogos de cartas, setas. Explorem a vossa imaginação e criatividade e realizem atividades únicas em família.

7. Relembre os riscos e problemas associados ao uso excessivo de tecnologia

Existem diversos riscos e problemas causados pelas tecnologias, como sendo os distúrbios no sono, os problemas de comportamento, os problemas ao nível das competências sociais, o défice de atenção, a sensação de solidão, a raiva, a impulsividade, a dificuldade de concentração, a depressão, a ansiedade, a baixa autoestima, o aumento de agressividade, entre outros.

8. Desligue-se completamente da tecnologia

Arranje momentos para se desconectar completamente de todo o tipo de tecnologias (Por exemplo, quando vai de férias; quando são épocas festivas – natal, páscoa). Desligue-se das tecnologias e ligue-se à família, focando em momentos de prazer e bem-estar.

Abraço de coração a minha profissão, procurando transformar a vida de muitas crianças, jovens e adultos, ajudando-os a redescobrirem-se, a valorizarem-se e a sentirem-se verdadeiramente felizes e especiais.
Psicóloga Clínica , Tânia Daniela Carvalho

Primo pela ética profissional que a minha profissão exige, pelo respeito, responsabilidade e profissionalismo. Só assim será possível uma conexão segura e verdadeira.

Concorda com este artigo? Deixe a sua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.