Como conversar com as crianças sobre a escola

Como conversar com as crianças sobre a escola

Conversar com as crianças sobre a escola

Algumas crianças gostam de falar sobre o seu dia-a-dia na escola, por outro lado, existem outras onde é necessário “arrancar a ferros” até as informações mais simples.

Se no seu caso, a criança não for capaz de se expressar, ou optar pelo silêncio, existem algumas perguntas que ajudam ao diálogo e permitem uma conversa aberta.

Experimente algumas perguntas-chave que podem ajudar a iniciar o diálogo.

Como conversar com as crianças sobre a escola

1. Faça perguntas abertas.

Se a pergunta pode ser respondida com o monossílabo, sim ou não, essa será a resposta dada. Tente evitar que isso aconteça.

Exemplo: “Qual foi a melhor coisa que fizeste na escola hoje?”

2. Fale sobre os factos que rodeiam a criança.

As crianças costumam ter dificuldade em responder a perguntas que não têm contexto. Fazer uma observação dá à criança algo com o que relacionar.

Exemplo: “Este ano sei que tens mais meninos na turma. Conta-me lá, quem são?

3. Partilhe algo sobre si.

Quando alguém fala sobre si, é natural querer fazer isso em troca. Compartilhe algo com a criança e veja o que pode receber de volta.

Exemplo: “Nós jogávamos muito à apanhada no recreio. O que é que tu e os teus amigos gostam mais de fazer?

4. Evite perguntas negativas.

Se tem um pressentimento de que alguma coisa não está a correr bem, as perguntas podem sair negativamente, com palavras carregadas de emoção como triste ou mau. Perguntar de maneira positiva permite que a criança expresse as suas preocupações.

Exemplo: “Ouvi dizer que te sentaste ao pé dos alunos novos no almoço. Sobre o que falaram?”

Aqui estão outros exemplos de formas facilitadoras para que a criança se sinta à vontade para falar.

Formas de iniciar as conversas depois da escola

Em vez de:

A escola foi divertida hoje?

Experimente dizer antes assim:

  • Qual foi a melhor coisa que fizeste na escola?

Em vez de:

  • Como foi o almoço?

Experimente dizer antes assim:

  • Hoje, quais foram as crianças que se sentaram ao pé de ti no almoço?

Em vez de:

  • A professora ensinou bem?

Experimente dizer antes assim:

  • Qual foi a coisa mais interessante que a professora ensinou hoje?

Em vez de:

  • Brincaste no recreio hoje entre as aulas?

Experimente dizer antes assim:

  • Com quem brincaste hoje no recreio?

Em vez de:

  • As crianças da tua turma são tuas amigas?

Experimente dizer antes assim:

  • Com quem gostas mais de conversar?

Em vez de:

  • Trazes trabalhos para casa?

Experimente dizer antes assim:

  • Que trabalhos de casa tens para fazer hoje? Quais é que te parecem mais difíceis?

Em vez de:

  • Tens amigos nas aulas?

Experimente dizer antes assim:

  • Quem são as crianças com quem conversas mais nas aulas?

Em vez de:

  • A apresentação do trabalho correu bem?

Experimente dizer antes assim:

  • Que parte da apresentação achas que correu melhor?

Formular as perguntas desta maneira convida a criança a dialogar.

Mas não espere que todas as perguntas resultem numa resposta longa e detalhada. O objetivo é conseguir ter muitas pequenas conversas ao longo do tempo. Pode ajudar a encontrar momentos espontâneos para conversar, à hora de jantar, no carro, num passeio ou até na hora de deitar, quando não existe pressa.

É importante saber que nem todas as crianças conseguem ou gostam de partilhar as informações sobre o que acontece na escola e que a forma como os questionamos pode ajudar a que se sintam à vontade para falarem mais.

Às vezes, as crianças, tal como os adultos, não têm vontade de conversar.

É importante saber quando parar de fazer perguntas e deixar para depois. Mas, se existir algo sério ou urgente a acontecer e que o preocupe, vai precisar de fazer perguntas diretas e pedir respostas.

O Centro SEI é um espaço dedicado ao desenvolvimento e à aprendizagem em todas as etapas da vida humana.

Somos uma equipa multidisciplinar de especialistas em dificuldades de aprendizagem (dislexia, disortografia, disgrafia e discalculia), dificuldades de atenção, hiperatividade e outros desafios do desenvolvimento.

Concorda com este artigo? Deixe a sua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.