De volta ao trabalho!

Os primeiros meses de um filho com os pais são de um enamoramento constante, é a criação do ninho, estabelecimento de laços, de sentimentos, de um amor que vai crescendo dia apos dia. Para a mãe são 4 ou 5 meses de puro namoro diário com o seu filho. Mas estes meses passam a voar, e de repente, estamos de volta ao trabalho. Infelizmente são poucos meses que podemos estar a usufruir do maior amor que a vida nos dá a tempo inteiro…injusto não é?

Deixar o bebé em casa, ou na creche, na ama ou com os avos, seja qual for a situação, deixar um filho e ter de ir trabalhar custa sempre.

No meu caso, estive sem as minhas filhas 109 dias, pois estiveram internadas nos cuidados intensivos neonatais a sobreviver à grande aventura que é a prematuridade e a delas foi de 25 semanas com pouco mais de 600gr. Durante esse tempo estive de baixa por assistência à família, posso dizer que foram os 4 meses mais longos da minha vida. O tempo parece que dói a passar, ia para casa com o maior vazio do mundo, mas quando elas foram para casa a felicidade chegou. Estive de licença 6 meses e mais um de férias. Depois ainda consegui pôr licença de maternidade prolongada por mais três meses. Ainda assim soube a pouco! Esses sim foram os meses mais felizes, mas mais intensos e trabalhosos também.

Estive bastante tempo com elas em casa, foram dias e dias só para elas. E confesso que no final já precisava de sair, de ir trabalhar. Foram muitos meses fechadas em casa, dado que, pela prematuridade, não podíamos ter muitas visitas nem sair muito de casa. Trabalhar não era assim tão assustador mas e ao mesmo tempo sentia que ia fazer-me bem. Mas… um mês antes de voltar ao trabalho a ansiedade chegou, não me conseguia imaginar a sair de casa e estar sem elas. Passava o dia a imaginar como iria ser, e a fazer questões a mim própria, será que vão sentir a minha falta? Será que eu vou conseguir? Será que vou passar o dia a olhar para o telemóvel, ou ligar de 10 em 10 minutos para saber se estão bem? Como é que vou ter energia para trabalhar sem dormir “quase nada” (elas sempre deram más noites), como vou gerir a casa, o trabalho e cuidar delas???… Tantas e tantas questões que me passavam pela cabeça.

O dia chegou, acordei mais cedo que o normal, tomei o pequeno almoço, fiz questão de lhes dar os leitinhos e de lhes dar um grande beijinho e dizer “a mamã vai trabalhar e daqui a pouco  chega a casa para brincar muito com vocês”. Sorri para elas e la fui eu, fecho a porta e cai a primeira lagrima…ia com o coração nas mãos mas feliz por regressar ao trabalho. Apenas liguei uma vez, e quando cheguei a casa vinha ainda com mais vontade de brincar com elas. Posso ter menos tempo, mas é tempo de qualidade só para elas e para elas com muita brincadeira, muitos abraços, sorrisos, passeios, muitos sorrisos e muito amor. O tempo é uma das melhores prendas que podemos dar a um filho.

Já passaram 3 meses desde que regressei ao trabalho, e não posso negar, tenho muitas saudades de passar os dias inteiros com elas, tenho saudades desse tempo maravilhoso. Durmo menos, tenho menos tempo para mim, ando sempre a correr, mas o tempo que estou com elas e com o meu marido é de qualidade! Mas sim, é muito cansativo, e o cansaço é diário. Faço questão de quando chego a casa, esse tempo ser para brincar com elas até a hora do jantar, depois quando adormecem (nem sempre é fácil adormece-las) é quando eu e o meu marido tentamos fazer o jantar e almoço para o outro dia, arrumar a casa e tentar dormir (se elas deixarem).

É difícil conciliar o trabalho, casa, os filhos, marido e ainda ter tempo para nós, mas acabamos por conseguir sempre, as mulheres são sem dúvida seres com super poderes, então quando viram mães são capazes de tudo, porque amam mais e quando há amor tudo se faz e tudo se consegue.

 

Dicas para quem esta prestes a terminar a licença de maternidade e regressar ao trabalho:

– Não ligar mais do que 1 ou 2 vezes para quem esta a cuidar do seu filho;

– Quando estiver muito cansada lembre-se que vai chegar o fim-de-semana;

– Divida as tarefas com o seu marido;

– Rotinas são importantes, organização de tarefas, e refeições com antecedência são fundamentais;

– Quando esta no trabalho envolva-se no que esta a fazer;

– Quando regressa do trabalho dedique-se a 95% aos seus filhos e marido, os outros 5% são para se dedicar a si própria, para ter tempo para si!

– As saudades são normais, mas tente ver isso como uma coisa boa;

– Lembre-se que quando terminar o trabalho vai encontrar o melhor sorriso e abraço do mundo!!!

 

Por Débora Barroso, para Up To Kids®

Todos os direitos reservados

Mãe das Marias, duas gémeas que nasceram às 25 semanas de gestão, e que, desde então, têm sido o melhor de si, e a sua maior inspiração. Autora, juntamente com o seu marido, do blog Nós e as Marias.

A Débora é uma pessoa simples e humilde, mas com mil e um talentos! Enfermeira competente, entusiasta, carinhosa, incansável e carismática! Ama a viagem que é a vida, com tudo o que isso implica!

Gostou deste artigo? Deixe a sua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Verified by MonsterInsights