Porque é que ter menos brinquedos irá beneficiar o seu filho “As potenciais possibilidades de qualquer criança, são o mais intrigante e estimulante em toda a criação” - Ray L. Wilbur Os brinquedos não servem apenas para brincar.

Porque é que ter menos brinquedos irá beneficiar o seu filho

Porque é que ter menos brinquedos irá beneficiar o seu filho

“As potenciais possibilidades de qualquer criança, são o mais intrigante e estimulante em toda a criação” – Ray L. Wilbur

Os brinquedos não servem apenas para brincar. Os brinquedos são os alicerces na construção do futuro dos nossos filhos. Ensinam as crianças a conhecer o mundo e a conhecer-se si próprias. Enviam mensagens e comunicam valores.
Assim, os pais devem preocupar-se com o que podem os brinquedos ensinar aos seus filhos. Sendo a quantidade de brinquedos acumulada, muitas vezes absurda, ficam aqui 8 razões para se livrar do excesso de brinquedos, e como isso irá beneficiar os seus filhos a longo prazo:

1. Criatividade

Uma grande quantidade de brinquedos irá impedir que as crianças desenvolvam plenamente o seu dom da imaginação. Dois trabalhadores alemães (Strick e Schubert) realizaram uma experiencia em que convenceram uma sala de aula do jardim de infância a remover todos os seus brinquedos durante três meses. Embora, inicialmente, as crianças tenham estranhado e sentido falta dos brinquedos, rapidamente começaram a usar objetos básicos para inventar jogos revelando-se bastante criativas.

2. Capacidade de concentração e atenção direcionada.

Uma criança com acesso a muitos brinquedos ao mesmo tempo, terá a sua atenção dispersa. Uma criança dificilmente irá aprender a apreciar plenamente o brinquedo à sua frente enquanto existirem inúmeras opções que ainda permanecem na prateleira.

3. Competências sociais

As crianças com menos brinquedos aprendem a desenvolver relações interpessoais com outras crianças e adultos. Aprendem a começar e manter uma conversa. Estudos revelam que as amizades de infância contribuem para uma maior hipótese de sucesso académico e mais facilidade em lidar com situações sociais durante a idade adulta.

4. Valorizar as coisas.

Quando as crianças têm muitos brinquedos, naturalmente têm menos cuidado com eles. Não vão aprender a valorizá-los se houver sempre um substituto pronto na prateleira. Se o seu filho estraga e perde os brinquedos constantemente, experimente tirar-lhe metade dos que tem, e verá como ele passará a valorizar mais aqueles que lhe restam.

5. Gosto pela leitura, escrita e arte.

Ter menos brinquedos irá criar espaço e tempo para que a criança aprenda a apreciar a leitura, a música, o desenho e a pintura. O amor pela arte vai ajudá-los a apreciar melhor a beleza, as emoções e a comunicação

6. Habilidade e engenho

Na escola não se dão as respostas aos problemas mas sim as ferramentas para que os alunos consigam encontrar a resposta. No entretenimento e jogo, pode ser aplicado o mesmo princípio. “a necessidade aguça o engenho” – menos brinquedos faz com que as crianças se tornem engenhosas, resolvendo problemas apenas com os materiais à mão. A desenvoltura é um presente com potencial ilimitado.

7. Harmonia e Partilha.

Isto é, um pouco, contraintuitivo. Muitos pais acreditam que havendo mais brinquedos haverão, consequentemente, menos desavenças, porque há mais opções disponíveis. No entanto, verifica-se frequentemente o oposto: os irmãos discutem constantemente por causa de brinquedos. E cada vez que “aparece” um novo brinquedo no relacionamento, damos-lhes também mais um motivo para estabelecer o seu “território”. Por outro lado, irmãos com menos brinquedos são obrigados a partilhar, colaborar e trabalhar em conjunto, reforçando a relação entre eles.

Porque é que ter menos brinquedos irá beneficiar o seu filho

8. Perseverança.

As crianças que têm muitos brinquedos desistem das coisas rapidamente. Se eles têm um brinquedo que não sabem como funciona, ou não sabem como jogar, rapidamente é descartado e substituído por outro mais fácil. As crianças com menos brinquedos aprendem a ser perseverantes, pacientes e determinados.

9.Escrúpulos e Honestidade.

As crianças que recebem tudo o que pedem, acreditam que podem ter tudo o querem, muitas vezes sem olhar a meios para atingir os fins. Essa atitude vai levar rapidamente, a um estilo de vida pouco saudável (e inconveniente).

10. Aproveitar a natureza.

As crianças que não têm uma arrecadação cheia de brinquedos, acabam por brincar mais ao ar livre e desenvolver um profundo apreço pela natureza. São também mais propensos a fazer exercício físico, que resulta em corpos saudáveis ​​e felizes.

11. O dinheiro não traz felicidade.

A verdadeira alegria e diversão nunca serão encontradas nos corredores de uma loja de brinquedos. As crianças foram educadas a acreditar que o dinheiro compra a felicidade, estão a viver uma ilusão, possivelmente, tal como os pais vivem. As crianças precisam de aprender a encontrar a felicidade nas pequenas alegrias, nas coisas que realmente as vão marcar para a vida.

12. Viver num espaço mais minimal.

Quem tem filhos, sabe que a desordem dos brinquedos pode rapidamente assumir uma casa inteira. Menos brinquedos resulta num espaço mais “limpo” e amplo, uma casa mais saudável e menos desordenada.

Eu não sou anti brinquedos. Eu sou apenas pró-crianças. Faça ao seu filho um favor hoje e limite o número de brinquedos. (Não diga é que a ideia foi minha.)

 

Por becomingminimalist, traduzido e adaptado por Up To Kids®

Nota: Todos os textos traduzidos, adaptados e publicados pela Up To Kids®, obtiveram autorização prévia do autor e/ou foram comprados os direitos dos mesmos.

Todos os direitos reservados

 

9 thoughts on “Porque é que ter menos brinquedos irá beneficiar o seu filho
  1. As minhas filhas têm muitos brinquedos e não é por causa disso que desenham menos (a mais velha faz desenhos bem complexos para a idade), que fazem menos pinturas (por elas eram todos os dias), que brincam menos na rua (por elas era quase o dia todo), ou que discutem mais (e têm 3 e 5 anos). Alguns brinquedos, como os legos ou os playmobils, quantos mais têm mais elaboradas ficam as histórias (dentro de casa são os favoritos), porque não é muito fácil construir uma cidade com 2 conjuntos de legos, por outro lado temos muitas peças mas não estão montadas as construções originais, elas constroem o que lhes apetece nesse dia. É de referir que não vêm televisão (nem temos) e cada uma tem um tablet de criança, que é usado apenas nas muitas viagens grandes que fazemos e que raramente são pedidos fora disso (nem se lembram). Eu também tinha muitos brinquedos e tenho boas memórias de fazer histórias de vários dias com eles. Não é a quantidade que importa, nem para mais nem para menos, mas a qualidade dos brinquedos e o tempo que têm para brincar. Percebo que se só têm 30min para brincar andem num frenesim para experimentar tudo, que é o que fazem normalmente outras crianças quando nos visitam.

  2. Concordo!! Os meus não tem muitos brinquedos, mas como partilham quarto rapidamente fica tudo espalhado pela casa. Solução? 3 em 3 meses faço ‘rotação’ de brinquedos. Aqueles que sei que utilizam sempre, como os blocos de madeira, puzzles, ‘cozinha’ ficam, mas divido os peluches, carros, bonecas e alguns vão para o sótão. Quando é dia de troca, parece o natal outra vez! Menos brinquedos facilita a arrumação do quarto pelos miúdos (e assim não ficam frustrados por ser ‘muita coisa!!’) E confirmo mesmo que há menos brigas, mais entendimento e partilha, e muita criatividade. O que abunda é sempre materiais de pintura, bricolage.. tem é que ficar estabelecido que quem sujar, tem que limpar!!

  3. Profundamente verdadeiro e adequadíssimo à época atual, ou seja intemporal como as histórias tradicionais.

Em que é que está a pensar?

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Instagram did not return a 200.