A brincar é que a gente também aprende!

O brincar é um importante meio de aprendizagem: é divertido, focado na atividade e tem uma forte componente social.

Ser divertido é uma característica essencial para motivar as crianças a se envolverem nas atividades de forma autónoma e sistemática. Por outro lado, o foco na atividade em si mesma e não nos resultados, atenua as repercussões negativas dos erros.

Por fim, a componente social, envolvendo adultos ou outras crianças, potencia o impacto positivo na atividade.

Através do brincar são criadas oportunidades para que a criança possa praticar e desenvolver competências para a aprendizagem. Com a abordagem lúdica, as situações de aprendizagem ganham significado e contextualização para a criança, respeitando a sua vertente social.

“A brincar é que a gente também aprende!”  pretende favorecer o sucesso na aprendizagem, através de atividades lúdicas, atrativas, simples de dinamizar e pouco dispendiosas.

Os jogos a seguir descritos são exemplos de atividades dinamizadas, as quais podem ser realizadas em contextos formais e informais de aprendizagem, de forma autónoma ou coletiva e sistemática.

Spinner da Tabuada:

Objetivo: Promover a automatização de fatos numéricos.

Material: Dois spinners, 2 pratos de papel, autocolantes e caneta.

Como Jogar: Primeiro, divide-se cada um dos pratos de papel em 10 partes e escreve-se os números de 1 a 10 em cada uma das partes. Cola-se um autocolante numa das pontas de cada um dos spinners para serem as pontas indicadoras.
Coloca-se um spinner no centro de cada prato. Faz-se girar os dois spinners e, quando acabarem, pede-se à criança para dizer o resultado da multiplicação dos números indicados.

Jogo de Memória Ortográfico:

Objetivo: Promover a memorização da ortografia de palavras cujos sons assumem representações múltiplas.

Material: Folhas de papel, tesoura e caneta.

Como Jogar: Primeiro, selecionam-se 10 palavras que se representam de forma múltipla. Recortam-se 20 papelinhos de igual tamanho. Pede-se à criança que escreva cada uma das palavras duas vezes, em dois papelinhos. Distribuem-se os papelinhos em 4 linhas de 5 papelinhos, com as palavras escritas voltadas para baixo. Em cada jogada, a criança pode virar dois papelinhos: se encontrar o par joga novamente; se não encontrar o par, passa a vez à outra criança/adulto. No fim, ganha quem tiver mais papelinhos.

Leitura em Coro ou em Eco:

Objetivo: Promover a fluência leitora.

Como Jogar: Primeiro, selecionam-se os textos que irão servir de base para as leituras. Depois, formam-se pares (criança-criança ou criança-adulto).

Na leitura em coro, pede-se ao par para ler em voz alta um dos textos selecionados, como se fosse um coro. A leitura do texto selecionado pode ser repetida as vezes necessárias até conseguir uma leitura unânime. Na leitura em eco, enquanto que a uma das crianças é pedido para ler o texto selecionado por unidades de sentido, frases ou parágrafos, à outra criança pede-se
que repita como se fosse o eco, alternando depois os papéis.

Os jogos divertem as crianças, prendem o seu interesse e atenção, pela sua natureza e dinâmica. Quando se pretende promover o desenvolvimento de competências, deve-se então contemplar a complementaridade de estratégias, estruturadas e lúdicas, pois “A brincar é que a gente também aprende!”.

 

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.