Inteligência Naturalista (entender os seres vivos e a natureza)

Inteligência Naturalista.

Inteligência Naturalista (entender os seres vivos e a natureza).

A Teoria das Inteligências Múltiplas de Gardner. TODOS DIFERENTES. TODOS ESPECIAIS. 

Com a chegada do verão e das férias grandes, apetece aproveitar ao máximo o ar livre, a praia, relaxar à sombra de uma árvore, passear no campo, etc.

Por essas e tantas outras razões, esta é uma excelente altura para falar sobre a Inteligência Naturalista, sobre as suas características e afinar estratégias para potenciar este tipo de inteligência nas crianças.

A Inteligência Naturalista não fazia parte do estudo original de Inteligências Múltiplas, onde Howard Gardner identificava apenas 8 tipos de inteligência.

Em 1995, depois de observar atenta e profundamente as características do mundo em que vivia, Gardner considerou a consciência naturalista essencial para a sobrevivência do ser humano e de outras espécies no planeta Terra.

A Inteligência Naturalista

A Inteligência Naturalista ativa o lóbulo occipital, que está localizado na parte póstero-inferior do cérebro. Esta área, também designada por córtex visual, recebe e processa os estímulos visuais. Esta é a responsável pela interpretação do mundo visual e pela transformação da experiência visual para a fala. É aqui que o nosso cérebro transforma estímulos visuais em palavras. 

Também conhecida como Inteligência Biológica ou Ecológica, a Inteligência Naturalista traduz-se na capacidade de compreender o mundo natural, de identificar e distinguir diferentes tipos de plantas, animais e formações climáticas. Com uma grande sensibilidade relativa à protecção e à manutenção responsável dos recursos naturais, a inteligência naturalista detecta, diferencia e categoriza as questões relacionadas com a natureza. Por exemplo, espécies animais e vegetais ou fenómenos relacionados com o clima, a geografia ou os fenómenos naturais.

Quem tem este tipo de inteligência mais desenvolvido aprende através do contato com a natureza.

“A inteligência é uma espécie de paladar que nos dá a capacidade de saborear ideias.” – Susan Sontag

Principais características das crianças que possuem a Inteligência Naturalista mais desenvolvida:

  • Têm sentimentos muito fortes por tudo o que está interligado com a Natureza;
  • Sentem-se atraídos pelo mundo natural e têm uma grande sensibilidade relativamente aos fenómenos naturais;
  • Interessam-se profundamente por assuntos relacionados com a cultura, a ciência e com o ambiente;
  • Sentem uma grande conexão com os elementos da natureza e detectam facilmente os padrões existentes;
  • Sentem interesse pelo comportamento humano e/ou animal;
  • Conhecem diferentes espécies de plantas e de animais, e também as suas características;
  • Interessam-se por ciências naturais como a geologia, a astronomia, a paleontologia, a biologia, etc.

Geralmente, estes interesses aparecem muito cedo na vida da pessoa e permanecem ao longo dos anos.

Especialistas destacam 4 sinais de crianças com esta inteligência mais desenvolvida:

  • Maior percepção do meio ambiente;
  • Têm especial interesse pela exploração;
  • Sentem necessidade de passar muito tempo na natureza;
  • Demonstram grande preocupação com o meio ambiente.

Devido à sua enorme capacidade para detectar padrões na natureza, as crianças com uma inteligência naturalista mais desenvolvida tendem a ser mais conscientes do ambiente que as rodeia tal como das mudanças que ocorrem nele.

  • Em geral, estas crianças preferem aprender na prática, “sujar as mãos”, mais do que ficar sentadas a estudar.
  • Estas crianças adoram observar insectos e descobrir tudo sobre eles, subir às árvores, saltar nas poças, desenhar plantas, animais ou paisagens e podem ficar horas a observar os fenómenos da natureza (ex. carreiros de formigas, joaninhas a voar, etc.).

O contacto frequente com a natureza é fundamental para estas crianças. É aqui que recarregam energias e que se sentem felizes. Caso isso não aconteça regularmente, a tendência é para se sentirem tristes e apáticas.

Como ajudar estas crianças?

Se for professor e tiver em sala de aula uma ou mais crianças com este tipo de inteligência mais desenvolvida é importante que desenvolva diversas atividades ao ar livre e que fomente uma aprendizagem mais prática. De forma a estimular o principal canal de aprendizagem destas crianças, organize atividades como:

  • Fazer caminhadas na natureza – todos os temas curriculares podem ser trabalhados na natureza;
  • Viajar para conhecer os diferentes ecossistemas;
  • Plantar, colher e produzir alimentos;
  • Cuidar de animais;
  • Consumir produtos biológicos, ecológicos ou orgânicos;
  • Pesquisar e preparar receitas naturalistas;
  • Visitar parques botânicos ou o jardim zoológico;
  • Sensibilizar para a protecção do meio ambiente;
  • Ter um animal de estimação na sala de aula – fomenta a conexão com o mundo animal e possibilita ao aluno de orientação naturalista um lugar seguro, onde pode relacionar-se com o mundo natural e cuidar de seres da natureza;
  • Construir um herbário, onde podem observar e classificar diversos tipos de plantas;
  • Observar o crescimento de uma planta e/ou de um animal;
  • Fazer experiências em sala, empregando o método científico.

Para potenciar a Inteligência Naturalista nos alunos que não têm este tipo de inteligência tão desenvolvido, nada como organizar passeios na natureza;

  • Levar a aprendizagem para fora das 4 paredes;
  • fazer jogos de imitação dos sons dos animais;
  • observar animais no seu meio ambiente;
  • ir ao jardim zoológico e falar sobre as diferentes espécies animais;
  • criar uma horta pedagógica, onde as crianças são responsáveis por tratar da terra e dos alimentos nela semeados;
  • falar sobre as diferentes estações do ano, observando na prática as características de cada uma delas;
  • fomentar o desenvolvimento de projetos escolares sobre o meio ambiente;
  • fazer muitas experiências científicas;
  • estudar as disciplinas de ciências no exterior (estudo do meio, ciências da natureza, biologia, físico-química, etc.);
  • implementar na escola o dia do animal de estimação, onde todos os alunos são convidados a levar para a sala de aula os seus amiguinhos animais; etc.

Em família, pode fomentar a inteligência naturalista nos seus filhos, quer a tenham mais ou menos desenvolvida, das seguintes formas:

  • Organizar atividades ao ar livre;
  • Disfrutar de piqueniques no campo;
  • Ajudá-los a escolher um animal de estimação e encorajá-los a ser responsáveis por tudo o que o animal necessita;
  • Coleccionar e observar folhas, pedras, conchas, etc.;
  • Observar a fauna e a flora, enquanto visitam parques naturais;
  • Visitar frequentemente jardins botânicos e observar todas as espécies vegetais, animais e minerais que este contém;
  • Se os seus filhos gostam de cadernetas de cromos, escolham as de animais e aproveitem para descobrir todas as curiosidades sobre cada espécie;
  • Ensine-os a respeitar e a amar a natureza e o meio ambiente, explicando-lhes a sua importância para a vida no planeta Terra;
  • Organize caças ao tesouro utilizando percursos de geocaching;
  • Façam passeios de bicicleta em família;
  • Plantem juntos uma (ou várias…) árvore(s);
  • Explique e fomente a reciclagem do lixo doméstico; etc.

Exemplos de profissões de pessoas com a inteligência Naturalista desenvolvida

Botânicos, ecologistas, ambientalistas, geólogos, zoólogos, biólogos, ornitólogos, paisagistas, veterinários, guardas florestais, jardineiros são alguns exemplos de profissões que possuem este tipo de inteligência mais desenvolvida.

Charles Darwin ou Jaques Costeau são alguns nomes conhecidos, que mostraram ao mundo como a inteligência naturalista pode ser posta em prática.

Qual o tipo de inteligência do meu filho?

Tal como não existem duas pessoas iguais, também não existem fórmulas mágicas para trabalhar as inteligências múltiplas… Dedique algum tempo a observar os seus filhos ou os seus alunos, tente compreender aquilo que os move, como encaram a vida e de que forma dão resposta às situações do dia-a-dia.

Observar com curiosidade é meio caminho para compreender qual o tipo de inteligência predominante e como esta pode ser fomentada, provocada ou estimulada.

Não somos todos iguais! Não aprendemos todos da mesma forma! Não observamos o mundo através da mesma perspectiva! Todos fazemos parte do mesmo Todo, onde são as nossas diferenças que nos tornam únicos, especiais e essenciais! Saber que existem diferentes tipos de inteligência e que todos nós aprendemos de acordo com o nosso estilo de aprendizagem, ajuda-nos a colocar menos rótulos nos outros, a ter mais humildade e a largar a necessidade de que todos ajam, pensem ou sintam da mesma forma que eu.

“Eu acho que não há inteligência sem coração. A inteligência é um dom, é-nos concedida, mas o coração tem que a suportar humildemente…”  – Agustina Bessa-Luís

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Instagram did not return a 200.