jardim de infancia

jardim de infancia

O dia a dia no Jardim de Infância

Ao abrir da porta correm ao ouvir o Bom Dia e dizem: “Olá, Carla!”
“-Estão bons ? Dormiram bem ?” – pergunto eu , ao que me respondem sempre : “Sim !!!!!!!!!!” Deduzo que sim pela alegria comunicada pela entoação do sim.
Sou Educadora de Infância por opção e vocação. Tenho nas mãos a responsabilidade de promover o desenvolvimento de crianças e zelar pela sua segurança como quem cuida de uma pedra preciosa .
Entre os 4 meses e os 2/3 anos de idade, há uma imensidão de habilidades para aprender e a estimulação é a base para alcançar o progresso do desenvolvimento. Criar um clima de afectividade com o grupo permite criar alicerces na relação que permitirão à criança sentir se segura e com vontade de aprender de forma lúdica.
O nosso dia a dia numa Creche/ Jardim de Infância é um dia de trabalho intenso a nível de promoção da evolução de cada etapa do desenvolvimento da criança. Não existem tarefas mais importantes do que outras : mudar a fralda , dar de comer ,observar a criança a brincar, ensinar a ouvir uma história , a cantar partes de uma canção são tanto importantes como segurar num lápis, rasgar, colar e pintar.
O tempo da manta, em que nos reunimos a cantar o Bom Dia e a ouvir uma história ou a explorar imagens são momentos cruciais para o desenvolvimento da linguagem, concentração, sentido de pertença a um grupo. Parece que puxamos as palavras sucessivamente até que começam a construir discursos com fluidez adequada a idade …
Brincar , Brincar , Brincar … observar a forma como desempenham os papéis sociais na área da casinha sem estereótipos interiorizados é conhecer o pensamento da criança sobre o mundo que lhe rodeia.
O menino que cuida da boneca/boneco, que lava a loiça, a menina que brinca com os carros e os legos… faz-nos acreditar num mundo em que reina a igualdade de género.
Desenhar com os lápis/marcadores e Pintar com os pincéis, na minha óptica, é uma forma de processar para o papel a evolução do pensamento. Daí que estas experiências não devem ser encaradas como um ato corriqueiro mas sim como um ato exige elevada concentração e conhecimento sobre si mesmo e sobre o que os rodeia.
Valorizar as conquistas individuais e coletivas, é aumentar a auto-estima e o desejo de aprender. Devemos focar-nos nos processos de elaboração dos trabalhos e colocar em segundo plano as produções elaboradas. A criança aprende fazendo e experimentando…
Defendo uma prática pedagógica assente na acção, onde a observação e experimentação são fundamentais. Ver, tocar e falar sobre o que experimentámos. Falar sobre o que sentimos.
Pincelamos de várias cores a vida destes pequenos seres, para que os meninos e as meninas cresçam num quadro multicolor.

Por Carla Félix, para Up To Kids®

LER TAMBÉM…

O jardim de infância é mais importante que a faculdade

11 coisas que aprendi com as Educadoras de infância sobre a pré-escolar

Aprender a ler mais cedo: a pressão do sucesso começa no pré-escolar

 

imagem fornecida pela autora