dificuldades-alimentares

imagem@playbuzz

Dificuldades alimentares na 1ª infância. Como ajudar?

Dificuldades alimentares na 1ª infância… o Terapeuta da Fala pode ajudar!

Sabia que…

  • a boca é o órgão com maior número de recetores sensitivos, com várias funções, como a receção dos alimentos e a proteção e controle do sistema respiratório e digestivo?
  • o comportamento de levar a mão à boca, que está presente a partir da 9ª semana gestacional, constitui uma das primeiras demonstrações da existência de integração sensório-motora precoce, através da qual o bebé irá obter não só uma forma de alimentação e de fala adequadas, como também reconhecer o seu próprio corpo e discriminar as características dos objetos?
  • as experiências sensoriais obtidas, quer durante a alimentação através da ingestão de alimentos com diferentes consistências, texturas, sabores e temperaturas, quer na exploração oral de objetos e da mão contribuem para um adequado desenvolvimento da musculatura orofacial e dento-esquelética e previnem a ocorrência de alterações no sistema estomatognático?
  • entre 25% a 35% de crianças com desenvolvimento normal apresentam dificuldades alimentares? Esta percentagem aumenta exponencialmente (65% a 75%) quando falamos de crianças com patologias do neurodesenvolvimento. – (Rudolph & Link, 2002)

As etiologias destas dificuldades são variadas, mas entre as mais comuns temos a predisposição genética, as complicações durante a gravidez, a prematuridade, a insuficiente estimulação ou experienciais táteis e orais desagradáveis. (- Dias, 2015)

O desenvolvimento sensório-motor oral (SMO) inicia-se no período intra-uterino, no qual o feto experimenta diferentes estímulos. A exposição a diferentes estímulos neste período é fundamental para a programação sensório-motora envolvida nas funções orais como a sucção, deglutição e respiração do neonato e posteriormente, na mastigação e na fala da criança. O desenvolvimento SMO irá depender das experiências sensoriais intra-uterinas, da maturação do sistema nervoso central (SNC), da herança genética e dos estímulos ambientais ao longo da vida, sendo os primeiros anos essenciais. (Medeiros, 2007)

O desenvolvimento SMO tem vários marcos importantes:

  • Entre 3º e o 6º mês de vida
    Há uma maior dissociação entre sucção e deglutição e
as competências motoras orais e globais facilitam a introdução da colher;
  • Do 6º ao 9º mês de vida
    Surgem os primeiros dentes; o bebé baba-se muito;
há uma participação do lábio superior na retirada do alimento na colher e surge a integração do reflexo de morder na mastigação;
  • Do 9º ao 12º mês de vida
    Começa a beber pelo copo com ajuda, come a bolacha e o pão sozinho, fazendo um prévio reconhecimento táctil dos alimentos;
  • Do 12º ao 15º mês de vida
    Tenta comer sozinho com a mão e com a colher; mastiga bem alimentos que não sejam muito duros; nesta fase ainda pode apresentar dificuldades na mistura de texturas dos alimentos;
  • Do 15º mês ao 18º mês de vida
    Baba-se frequentemente por não conseguir controlar várias tarefas simultaneamente; alimenta-se pela colher e pelo copo, com pequenas ajudas;
aceita alimentos com diferentes sabores, texturas e consistências com possibilidade de os manipular (importante para a integração sensorial);
  • Do 18º ao 24º mês de vida
    Há um aperfeiçoamento das capacidades miofuncionais orais; mastiga e bebe autonomamente de forma adequada; aceita duas texturas na boca. (Dias, 2015)

Alimentação Restritiva? Alimentação Seletiva? Alimentação exigente? Recusa Alimentar Crónica? Neofobia de alimentos? Qual o perfil alimentar? Dificuldades alimentares de base sensorial? Defensividade Oral? E agora?!

O Terapeuta da Fala pode ajudá-lo com as dificuldades alimentares do seu filho.

A Estimulação Sensório Motora Oral (ESMO) realizada pelo Terapeuta da Fala, quando introduzida precocemente e de forma a garantir o sucesso no aleitamento materno, favorece a introdução dos semi-sólidos e sólidos na idade adequada e de forma prazerosa e proporciona a realização de determinados tipos de movimentos dos órgãos fonoarticulatórios, essenciais para a maturação e desenvolvimento do sistema sensório-motor oral da criança.

O desmame precoce da amamentação pode levar à rutura do desenvolvimento motor-oral adequado, provocando alterações na postura e na força dos órgãos fonoarticulatórios e das funções da mastigação, deglutição e respiração, que estão diretamente relacionadas com a introdução complementar após os 6 meses. (Ferreira et al, 2014). Assim, deve ser dada a devida importância à amamentação no desenvolvimento das competências orais do bebé e esta forma de alimentação deve sem dúvida ser privilegiada.

A ESMO no neonato e/ou a integração sensorial na criança:

  • previne a falta a privação sensorial;
  • contribui para o adequado desenvolvimento do sistema sensório-motor oral do bebé;
  • possibilita que o bebé beneficie de todas as vantagens do aleitamento materno;
  • proporciona o planeamento e coordenação oro-motoras para o desenvolvimento das funções orais ( mastigação, deglutição e fala);
  • permite ao bebé responder a cada estímulo de modo cada vez mais adequado e eficiente, organizando, assim, as suas experiências sensoriais e desenvolvendo, de forma sucessivamente mais complexa, as suas capacidades motoras, sociais e cognitivas. (kutscher & Glick, 2011).

Deste modo, na presença de qualquer dificuldade na amamentação e/ou na resistência da criança na introdução da alimentação sólida, deve sempre procurar o parecer de um Terapeuta da Fala – técnico especialista habilitado para trabalhar as funções em causa -, que poderá ajudá-lo respondendo a questões, sugerindo estratégias facilitadoras ou, se for o caso, realizar intervenção direta com os pais e com o neonato/criança.

 

LER TAMBÉM…

Alimentação do bebé | 1º ano de vida

A garganta dói, a boca idem e engolir parece impossível

5 Dicas para acabar com as guerras às refeições

2 thoughts on “Dificuldades alimentares na 1ª infância. Como ajudar?

Comments are closed.

Instagram did not return a 200.