uso da chucha

chucha

Hábitos orais – Uso da chucha, sim ou não?

Hábitos orais – Uso da chucha, sim ou não?

Definidos como comportamentos repetitivos, os hábitos orais oferecem uma agradável sensação a quem os pratica, e encontram-se relacionados com as funções do sistema estomatognático – sucção, deglutição, mastigação, respiração e fala. Prova disso é que ainda na vida intrauterina, é possível observar que o bebé já chucha no dedo, pois este comportamento dá-lhe conforto e segurança.

Desta forma, podemos considerar que após o nascimento a chucha pode ter um efeito calmante, ajudando o bebé a autorregular-se perante alguma situação mais desagradável, ou até mesmo a reconfortá-lo. Não é por acaso que em inglês é chamada de pacifier. Para além disso, estimula as competências dos bebés, preparando-os para as atividades de sucção do leite – hábitos orais nutritivos, sejam eles feitos através do seio da mãe ou do biberão nos primeiros meses de vida.

No entanto é importante ter em conta que a chucha, é considerado um hábito oral não-nutritivo – assim como a sucção digital, a sucção da língua, das bochechas e dos lábios, o bruxismo (ranger os dentes) e a onicofagia (roer as unhas) – que poderão assumir sérias implicações no desenvolvimento das estruturas orofaciais da criança tendo em conta a intensidade, frequência e duração deste hábito, bem como a idade da criança. As estruturas orofaciais – lábios, língua, bochechas, palato e dentes, são fundamentais na mastigação, na deglutição, na respiração e na articulação dos sons da fala.

Prolongar hábitos orais não-nutritivos pode levar à alteração das estruturas orofaciais como por exemplo:

  • Incorreta posição dos maxilares, da língua, dos lábios e do palato;
  • Alterações nos movimentos necessários para realizar uma correta mastigação e deglutição dos alimentos;
  • Alterações na dentição – incorreta posição dentária;
  • Alterações respiratórias – respiração predominantemente oral;
  • Problemas ao nível da fala – alterações ao nível da articulação dos sons.

Contudo, nem sempre é fácil convencer uma criança a abandonar estes hábitos. Existem algumas estratégias/truques que poderão resultar:

  • Utilização da chucha por horários.
    Faça um acordo com a criança – permita que esta escolha quais as vezes em que acha mais necessário utilizar a chucha. Estabeleça um número de vezes por dia, e em conjunto vão diminuindo o número de vezes.
  • Data/tempos
    Marquem uma data importante – o aniversário da criança, por exemplo, como data limite para deixar a chucha.
  • “Chuchas más”
    Fure a ponta da chucha para dificultar a sucção, convença a criança que a chucha já não está boa pois já passou o prazo da sua utilização.

Uso da chucha, sim ou não? É uma decisão que cabe a cada um dos cuidadores. No entanto é importante ser usada com moderação para que a criança não se sinta dependente dela. Muitos autores indicam que a idade limite aconselhável para usar chucha, é até por volta dos dois anos.

 

Por Joana Lopes, Terapeuta da fala para Up To Kids®

Surgiu de uma iniciativa da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa,em 2002.
Apoio à Criança e à família

A Horas de Sonho é um Negócio Social Sustentável (cooperativa de solidariedade social), que engloba diversos serviços de apoio à criança e à família, adequados aos diversos ciclos das suas vidas.

1 thought on “Hábitos orais – Uso da chucha, sim ou não?
  1. Graça,
    Pode sempre optar por duas das opções apresentadas: dos horários e data importante para deixar de vez. Experimente também construir um calendário juntamente com a criança, para que ela tenha noção das vezes chucha no dedo: utilize cores (verde – não chuchei no dele; amarelo – chuchei mas lembrei-me que não deveria fazer; vermelho – chuchei no dedo) dividindo os períodos do dia – manhã, após almoço, sesta, tempos livres, antes de jantar, quando vai para a cama, etc. Desta forma ela vai ganhar consciência das vezes que chucha no dedo, após isso poderá então optar pelos horários e posteriormente pela marcação da data para deixar de vez.
    Mais importante que isto, é conversar com ela para que ela compreenda o que deverá mudar.
    Espero ter ajudado,
    Joana Lopes

  2. Graça,
    Pode sempre optar por duas das opções apresentadas: dos horários e data importante para deixar de vez. Experimente também construir um calendário juntamente com a criança, para que ela tenha noção das vezes chucha no dedo: utilize cores (verde – não chuchei no dele; amarelo – chuchei mas lembrei-me que não deveria fazer; vermelho – chuchei no dedo) dividindo os períodos do dia – manhã, após almoço, sesta, tempos livres, antes de jantar, quando vai para a cama, etc. Desta forma ela vai ganhar consciência das vezes que chucha no dedo, após isso poderá então optar pelos horários e posteriormente pela marcação da data para deixar de vez.
    Mais importante que isto, é conversar com ela para que ela compreenda o que deverá mudar.
    Espero ter ajudado,
    Joana Lopes

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.