os T.P.C.

À beira de um ataque de nervos – Os T.P.C. !

Os T.P.C. são um tema sensível e que tem vindo a ser a razão de muitos ataques de nervos não só dos filhos, mas também dos pais.

“Não temos tempo”, “Para além dos T.P.C ainda traz as tarefas que não concluiu nas aulas”, “O meu filho tem tantos trabalhos!”, “Chegamos tão tarde…tomar banho, jantar…e os T.P.C. ..!”, “Nós não sabemos como ajudar, na nossa altura não era nada assim”, “O meu filho distrai-se com tudo… é angustiante a altura de fazer os T.P.C.!”, “A professora do meu filho manda muitos trabalhos”.

É provável que muitos se identifiquem com estas afirmações. As preocupações são imensas, e por muito que queiramos por vezes torna-se difícil de gerir. São raras as crianças e os jovens que aderem facilmente à realização dos T.P.C  sem que se oponham ou façam birras. Querem outras coisas – jogos, televisão – que nos dias de hoje são elementos que competem com a realização dos trabalhos de casa.

Não menos importante é facto de depois de um longo dia de trabalho certamente pais e filhos quererão aproveitar os momentos em família com algum prazer e qualidade, pelo que em muitos casos os trabalhos de casa surgem como uma enorme dificuldade ao tão desejado bem-estar familiar. Muitas famílias têm de facto dificuldade em gerir os trabalhos de casa. Alguns pais apresentam um nível de escolarização inferior aos dos filhos, outros têm por vezes expectativas baixas sobre as suas capacidades pois vêem-se confrontados com programas escolares diferentes dos do seu tempo, e porque de facto se apercebem de que as aprendizagens e a forma como os professores actualmente dão a matéria, são de facto diferentes. No entanto, o acompanhamento dos pais na realização dos trabalhos de casa é fundamental sendo por isso importante organizar o estudo em casa.

Os trabalhos de casa são uma boa oportunidade para os alunos aprenderem e por outro lado, uma forma de os pais se envolverem na educação dos filhos. A verdade é que o interesse que os pais demonstrem pelos trabalhos da escola pode promover o entusiasmo das crianças pela escola e pela aprendizagem, desenvolvendo expectativas positivas e fomentando a aprendizagem, tornando-a divertida e para a qual o esforço valerá a pena.

É importante por isso perceber porquê que os professores enviam trabalhos de casa.

Na verdade, o trabalho realizado em casa pode ser muito útil para as crianças, de diversas formas:

  • Ajudá-las na aprendizagem de recursos (enciclopédias, bibliotecas…);
  • Ajudá-las a explorarem temas para os quais não tiveram tanto tempo em sala de aula;
  • Prepará-las para as matérias que serão dadas no dia seguinte;
  • Praticarem e reverem as aprendizagens das aulas;
  • Promover o trabalho de forma independente;
  • Promover a responsabilidade pessoal e a auto-disciplina;
  • Promover a gerir o tempo e a cumprir prazos;
  • Estimular o gosto pela aprendizagem.

Os T.P.C. não devem ser usados como um castigo. Devem ser uma experiência positiva e que contribua para as aprendizagens realizadas na escola, quando os exercícios são significativos e concluídos com êxito, apresentados ao professor e lhe sejam realizados comentários construtivos.

Não existe um número fixo de trabalhos a enviar para casa. Nos primeiros três anos de escola, podem ajudar as crianças a desenvolver hábitos e atitudes positivas face à escola e às aprendizagens e por isso é importante que não excedam os 20 minutos por dia. Do quarto ao sexto ano, podem servir como apoio ao desempenho académico, em pequenas quantidades de trabalhos que aumentem gradualmente em cada ano e que devem ser realizados entre 20 a 40 minutos por dia. Nos anos mais avançados os alunos que realizam trabalhos de casa são os que têm melhores resultados académicos, podendo a sua realização chegar até às 2 horas diárias.

Mas como já referi não existe um número exacto que deva ser estabelecido, até porque o tempo despendido dependerá também, entre outras coisas, das dificuldades da criança e do seu ritmo. Se por algum motivo estiver preocupado com a quantidade seja ela muita ou pouca deverá conversar com o professor e expor a sua questão para que em conjunto consigam encontrar estratégias que se adequem a cada problema.

Apesar das dificuldades que surgem como podem os pais ajudar na realização dos trabalhos de casa?

  • Valorizar os trabalhos de casa – as crianças devem saber que quer os pais quer os adultos que a rodeiam consideram os trabalhos de casa importantes, pois esta pode ser uma boa razão para que os façam com interesse;
  • Local onde se estuda – fica ao critério de cada família, não são precisos muitos recursos, não importa se é na sala, no quarto, na cozinha. Certifique-se apenas de que tem muita luz e silêncio. Tente evitar factores que possam distrair (televisão, telemóvel);
  • Definição de um horário – estabeleça um horário regular e que possa estar visível a todos, para evitar esquecimentos. A sua definição dependerá de cada família, das suas rotinas, da idade da criança. Se há actividades (natação, música…) poderá ser um horário mais flexível de acordo com as actividades e os dias da semana;
  • Materiais – identifique e forneça os materiais necessários ao estudo (lápis, caderno, dicionário…), que devem estar arrumados de forma a evitar que a criança perca tempo à procura deles. Por vezes, o computador pode ser um óptimo recurso à aprendizagem. Se não tiver poderá recorrer a uma biblioteca pública local ou até mesmo à biblioteca da escola;
  • Negociar o tempo para trabalhos de casa e por exemplo para ver televisão ou jogar;
  • Demonstre interesse pela escola, o que aprenderam, o que foi discutido. Peça-lhe que leia uma historia em voz alta ou que fale sobre alguma visita de estudo na qual participou;
  • Participar em actividades da escola (reuniões de pais, eventos) pode ser uma boa forma de criar uma rede entre a família e a escola;
  • Não substitua o seu filho na realização dos trabalhos – permita que trabalhem sozinhos com os seus problemas e erros;
  • Observe o seu filho e tente perceber de que forma aprende melhor, se prefere estudar sozinho ou acompanhado. Pode por exemplo realizar os T.P.C. com um irmão ou colega. Se aprende melhor a ouvir a matéria para fixar melhor, se a visualizar imagens ou desenhos.
  • Em conjunto com o seu filho pode apoia-lo a estruturar o trabalho – seleccionar conteúdos, fazer rascunhos, pesquisas, rever e completar um trabalho;
  • Conversar sobre os trabalhos ou testes – peça-lhe que repita por palavras suas instruções que tenha lido, questione se existem palavras que não tenha percebido, de que forma poderá ele descobrir o seu significado, o que irá fazer após terminar o trabalho;
  • Reforce positivamente o trabalho – as crianças (e todos nós) sentem necessidade de saber se o que fazem está ou não bem feito. Quando errar, opte por pedir-lhe que repita e elogie a seguir, é preferível do que dizer que ele fez tudo mal.

Se sentir que existe muita tensão e que de facto a realização dos trabalhos de casa está a causar muitos aborrecimentos, converse com o professor. Por vezes existem dias em que há muitos trabalhos e noutros não há nenhuns. A melhor forma é abordar a escola e em conjunto definir estratégias que melhor se adequem a cada caso. Os professores não conseguem ter tempo para adaptar os t.p.c. às necessidades de cada um dos seus alunos, todos os dias. Opte por conversar com o professor valorizando o trabalho e permita que se encontrem soluções adequadas.

Quando as dificuldades persistem e as estratégias não são suficientes, não hesite e peça ajuda a um técnico especializado.

Espero que vos tenha sido útil!

Boas Leituras!

Ana Filipa Ricardo, Psicóloga Educacional PsicoMindCare – Associação de Psicologia, para Up to Kids®

imagem shutterstock

A Psicomindcare pretende Ser e Fazer diferente, ao prestar serviços de psicologia de qualidade a baixo custo.

A PsicoMindCare é constituída por uma equipa de técnicos com várias valências e tem como principal missão responder às necessidades sentidas nas comunidades, sejam elas as famílias, escolas ou organizações, possibilitando serviços especializados na área da saúde a quem mais precisa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Instagram did not return a 200.