Educação Feliz

Abc para uma educação feliz

Abc para uma educação feliz

A – Abraços. Amizade. Amor.
As crianças precisam de se sentir amadas, e os pais podem e devem ajudar a desenvolver o seu caráter e auto-estima com manifestações de amor. Pergunte-lhes todos os dias “Já te disse hoje que te adoro?”

B – Brincar.
Brincar é uma das ferramentas chave na educação de uma criança. Brinque com o seu filho todos os dias. Nem que seja no trajeto Escola-casa. Invente personagens e brinquem ao faz-de-conta! Brinque antes do banho ou brinque no banho. Brinque quando os vai buscar à escola. Convide amigos para brincar lá em casa. Tudo o resto se irá compor com mais facilidade se o seu filho brincar todos os dias.

C – Conversar
Conversar com os filhos é um ato de partilha que deve começar desde que estão na barriga da mãe. Só assim poderá criar uma forte ligação e conhece-los ao longo do seu crescimento. Ninguém quer acordar e ter um estranho de 14 anos dentro de casa, pois não?

D – Dormir
Tal como os adultos, as crianças precisam de dormir para se sentirem bem consigo próprias. Para terem a concentração necessária na escola. Para não estarem de mau humor nem irritadas. Ensine-os a privilegiar as horas de sono.

E – Exemplo. Educação
A melhor  maneira de educar uma criança é através do exemplo. Seja o adulto que quer que os seus filhos se tornem.

F- Fluir
A parentalidade deve ser descomplicada. Há situações inesperadas que não podemos antever ou controlar. Não seja demasiado rigoroso ou severo. Deixe fluir o seu instinto. É de certeza o melhor palpite que terá em diversas situações ao longo do crescimento.

G – Gerir
Uma mãe/pai tem de saber gerir os seus filhos. As crianças precisam de ser guiadas, e esperam que os pais sejam o seu farol. Gira a vida dos seus filhos, mas enquanto o faz, não se esqueça que é suposto ensiná-los a, no futuro, a gerir por si só. Torne-os autónomos.

H – Hoje
Todos os dias são bons dias para começar algo. Se sente que é preciso uma mudança no dia a dia dos seus filhos, hoje é um ótimo dia para mudar

I – Interesses
Envolva os seus filhos em atividades. Uma criança com interesses e que integre grupos ou equipas irá desenvolver uma série de competências, nomeadamente sociais, que serão mais valias na formação da sua personalidade, e no seu desempenho futuro.

J – Jogar
Jogue em família. Seja às cartas, ao mikado, à macaca, ou às escondidas. Além do reforço de auto-estima catapultado por esses momentos, a criança aprende a ganhar e a perder, a lidar com a vitória e com as frustrações.

K – KO
Às vezes é melhor assumir que está KO do que andar a arrastar-se e a tentar fazer programas com os miúdos. Eles vão compreender e possivelmente agradecer.

L – Limites
É essencial, na educação de uma criança, dar limites. Verá que respondem melhor do que pensa aos limites impostos.

M – Mimar
As crianças precisam de mimo. Não só mimo de afetos, mas mimo de serem “levadas ao colo”, de vez em quando. Há um dia que o seu filho não quer adormecer sozinho? Leia mais uma história, fique um bocadinho no quarto a fazer companhia. Pode estar ansioso por algum motivo. O seu filho de 8 anos pede ajuda para tomar banho? Diga-lhe que lhe faz companhia na casa de banho enquanto ele toma banho. Tal como nós, as crianças têm dias em que se sentem em baixo, e precisam do nosso mimo. Dê colo sempre que for preciso.

N – Não
É importante saber dizer não. O não ajuda a definir limites desde pequenos, e orienta a criança. Mas lembre-se: as crianças precisam de tempo e espaço para explorar. Não diga sempre que não, só porque sim, ou porque é mais fácil. Eles próprios têm de aprender a dizer não a si próprios em vez de nos perguntarem tudo.

O – Obrigado
Ensine o seu filho a ser grato. É uma das características mais positivas que um ser humano pode desenvolver.

P – Prioridades
Ensine-os a gerir prioridades. Muitas vezes não conseguimos fazer tudo o que queremos num só dia. As crianças, que dispersam com a brincadeira, têm de organizar o seu tempo gerindo prioridades.

Q – Queixinhas
As crianças começam a fazer queixinhas logo que aprendem a falar (ou até antes disso). Embora, muitas vezes, seja já um hábito queixarem-se de tudo e apontar o dedo ao irmão ou ao colega do lado, tente sempre perceber se existe algum fundamento na queixa. Não proíba nem recrimine as queixas. É importante que a criança perceba que pode e deve queixar-se aos pais de tudo o que a incomoda, desde que não seja um capricho. Se o nosso filho é vítima de bullying, nós queremos saber. Se lhes ensinamos a a não se queixarem, vão apanhar e calar. Há que conseguir encontrar aqui um meio termo.

R – Respeito
Trate os seus filhos com respeito e eles aprenderão a respeitar os outros.

S – Sonhar
As crianças nem sempre vivem com os pés assentes na terra. Sonhar pode ajudar a desenvolver a criatividade e definir objetivos.

T – Ter
Hoje em dia as crianças querem ter tudo. Mostre-lhes que o Ser é mais importante que o Ter.

U –  Uma vez não são vezes
Para todas as regras existe uma exceção. A educação, ou a forma de educar não é estanque. Tenha as suas regras definidas, mas saiba quando podem ser quebradas.

V – Valores
A tradição já não é o que era, mas os valores são para manter. Transmita valores aos seus filhos. Ensine-lhes o que deve ser valorizado. Quais os valores por que se rege? O que lhes quer transmitir? 

W – Wow
Seja expansivo. Demonstre as suas emoções, exprima-se bem, converse entusiasticamente. Não reprima emoções. As crianças criadas por pais com quociente emocional elevado desenvolvem uma consciência social mais apurada, tornando-se mais adaptáveis e mais seguras de si próprias.

X – “Xeretar”
Não fale da vida dos outros à frente dos seus filhos. Aliás, não fale da vida dos outros. Pequenos hábitos são absorvidos pelas crianças. se você estiver constantemente a “xeretar” sobre a vida alheia, descobrirá que naturalmente os seus filhos também o farão.

Y – Yes
Porque o Sim é uma palavra que devemos usar várias vezes. É um reforço positivo na personalidade da crianças. Sim, adorei o teu trabalho na escola, Sim, hoje podemos ir ao parque, Sim, gosto de ti todos os dias. Sim, sim, e sim. Use e abuse do sim. Mas nunca se esqueça de equilibrar com o Não.

Z –  Zelar
Zele sempre pelos seus filhos. Aconteça o que acontecer, eles vão precisar sempre de si.

É verdade, um dia, provavelmente, vão tentar afasta-lo. Vão exclui-lo e vão tomar decisões sozinhos. Vão achar que sabem tudo e que os pais não sabem nada. Vão querer estar na linha da frente e dar o peito às novas aventuras, amizades e experiências. Mas independentemente disso, eles sabem (têm de saber) que os pais não vão a lado nenhum. E que se “tudo” correr mal, podem sempre contar connosco.
Se for preciso, estamos lá em silêncio.
Porque é isso que os pais fazem. Educam o melhor que podem, e quando finalmente as crias ganham asas, dão-lhe espaço para voar. E aqui, rezamos, para que que se lembrem de tudo o que lhes dissemos, de tudo o que lhes ensinamos, e que saibam fazer boas escolhas.

Se tudo falhar, recebemo-los de braços abertos, ajudamo-los a sarar e a recomeçar de novo.

Esperançados, agora, que com mais maturidade, a coisa corra melhor!
Porque é isso que os pais fazem.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.