Como estimular a autoconfiança na criança?

Como estimular a autoconfiança na criança?

Mesmo que as coisas possam correr mal, é preciso incentivar e continuar a estimular a criança. É importante mostrar à criança que não pode desistir só porque não deu resultado à primeira.

De certeza que todos já tivemos desconfortáveis e com medo de errar.

O conforto de nada fazer é, por vezes, demasiado aliciante face ao risco de as coisas poderem não funcionar como esperávamos. A confiança está ligada, por oposição, a este medo de errar que é talvez o principal fator inibidor da iniciativa e do empreendedorismo. É por estes motivos, e muito mais, que muitas vezes desistimos dos nossos sonhos e projectos.

Qual a importância da autoconfiança como competência?

A autoconfiança é crucial, pois funciona como um escudo no qual sucumbem os principais argumentos a favor da passividade e da desistência. Quantos projectos já pensámos em começar mas ficam na gaveta por falta de confiança? Todos sabemos que por vezes esses projectos são, na verdade, projectos de vida e escolhas que condicionam de forma decisiva o que fazemos e a nossa felicidade futura.

De todas as competências que consideramos importantes e fundamentais para um empreendedor, esta é a mais determinante, é aquela que garante que de facto, somos donos da nossa vida. Acreditamos que se tivermos confiança em nós somos capazes de coisas extraordinárias e impensáveis. Sim, impensáveis! Impensáveis porque com o receio e com o medo de falhar, acabamos por inibir o nosso potencial e talento pessoal e acabamos por pensar que não somos capazes de fazer alguma coisa relevante.

Todos os dias, seja a nível pessoal ou profissional, debatemo-nos com esta competência, ou porque somos demasiado confiantes ou porque falta-nos confiança.

Nem sempre é fácil encontrar a dose certa de confiança!

Todos nós gostamos de ser valorizados! Aliás, é importante! Faz com que nos sintamos apreciados e sentimo-nos bem connosco próprios.

E uma criança?

Nas crianças, como nos adultos, é importante começar por valorizar quem faz, quem arrisca, quem sai da sua zona de conforto. Mesmo que as coisas possam correr mal, é preciso incentivar e continuar a estimular a criança. É importante mostrar à criança que não pode desistir só porque não deu resultado à primeira. Há que continuar, continuar e continuar até encontrarmos a solução ideal. A perseverança e a resiliência são fundamentais para manter o rumo. E só um espírito confiante e determinado tem a capacidade de resistir a todas as contrariedades.

Em tenra idade os pais e educadores têm um papel fundamental na regulação e promoção da autoconfiança nas crianças, seja para o bem ou para o mal. Aquilo que dizemos ou não dizemos, a forma como reforçamos e estimulamos a criança, influenciam a construção da sua autoconfiança.

Estimular a autoconfiança é essencial para o desenvolvimento das crianças. É o alicerce de tudo: do que fazem, do que são, do que pensam…Podemos até dizer, que a autoconfiança é o alicerce do futuro. Se começarmos a desenvolver e a estimular esta competência nas crianças, desde cedo, estaremos a contribuir para adultos mais felizes e mais autoconfiantes.

Criar confiança todos os dias

Como pai/mãe/educador é importante ter uma atitude constante de incentivo à iniciativa, mesmo quando corre mal. Aplauda sempre que o seu filho ou educando tenta fazer alguma coisa pela primeira vez, independentemente do resultado final.

Grande parte do medo de errar que encontramos nos adultos nasce de uma educação que chamamos de “caça ao erro”. Onde pais, professores ou colegas estão constantemente à espreita para poder apontar o dedo ou chamar a atenção à primeira escorregadela, ao primeiro erro, ao primeiro passo errado que damos. As crianças percebem, desde muito cedo, se é mais cómodo não fazer nada ou fazer um disparate de vez em quando. Em termos práticos, “fazer um disparate de vez em quando” significa dar autonomia e liberdade à criança, o que acaba por ter implicações ao nível da rapidez com que os próprios adultos executam determinadas tarefas. Pense, contudo, nesse tempo adicional como um investimento que faz no futuro dos seus filhos ou educandos.

Como estimular a autoconfiança na criança?

Leve o seu filho ao supermercado e:

– Delegue à criança, a responsabilidade de fazer a lista de compras antes de sair de casa;

– No supermercado peça-lhe para procurar alguns produtos;

– Ao chegar à caixa, faça um jogo e pergunte-lhe quanto acha que vão custar às compras. Entre no jogo e quem se aproximar mais do valor final, recebe um prémio;

– Dê-lhe 1€ para gastar no que quiser, deixe-o fazer escolhas. Dê-lhe a moeda para a mão e deixe o seu filho passar numa caixa sozinho. Ensine-o a cumprimentar, pagar, receber o troco e agradecer, tudo de forma independente.

É possível, em qualquer situação do dia-a-dia, partilhar tarefas com as crianças.

Ao fazê-lo está a permitir que experimentem coisas novas e que aprendam com elas.
Não pode esperar, porém, que façam tudo exactamente como o adulto faria, lembre-se que é uma criança, por isso não critique! Aplauda, incentive, elogie e celebre cada pequena vitória. Faça-o sentir valorizado e um vencedor.

Partilhe outras tarefas com o seu filho! Verá que muitas das coisas que faz sozinho, podem ser partilhadas com os seus filhos. Pode aproveitar tempo de qualidade com o seu filho e ainda está a contribuir para a sua autoconfiança e responsabilidade.

Explique à criança que a auto confiança é uma competência importante que leva ao sucesso.

Para empreender eu acredito que sou capaz!

imagem capa@saveupdata

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.