Cadeiras i size

Cadeiras I-Size – é para mudar já?

Os números são assustadores e por isso, hoje escrevo-vos sobre um assunto sério e que é importante reforçar. Segundo a UNICEF todos os anos morrem no mundo 250.000 crianças e adolescentes por acidente rodoviário, e cerca de 10 milhões sofrem lesões graves.

Em Portugal, a APSI diz que 14% das crianças entre os 0 e os 12 anos viajam sem qualquer protecção e apenas metade das famílias que transportam as suas crianças com sistemas de retenção o fazem de forma correta.

Como é que é possível?

A verdade é que ainda há bem pouco tempo, fui confrontada com esta realidade. O condutor que seguia a minha frente levava uma criança com cerca de 3 anos no banco de trás sem sistema nenhum de protecção, nem mesmo o cinto! Vi a Criança, várias vezes, a saltar de um lado para o outro e a colocar-se entre os dois bancos da frente em pé!!!  Pena foi, não ter tido oportunidade de abordar o condutor, pois já estava preparada para lhe dar um grande sermão.

Nas minhas aulas faço questão de falar sempre sobre este assunto e por vezes “roço” a malvadez e conto uma ou outra tragédia que me passou pelas mãos. Faço-o de propósito, embora saiba que nenhuma grávida gosta de ouvir histórias trágicas, mas sei que este “abanão” pode ser positivo para que o casal grávido entenda a importância dos sistemas de retenção!

Hoje uma Grávida na consulta perguntou-me:

Enfermeira o que é uma cadeira homologada?

Foi a “gota de água”, e ficou logo decidido que assim que possível o próximo artigo que escrevesse, seria sobre este assunto

Até há cerca de 3 anos as cadeiras que podiam ser usadas em Portugal (União Europeia) tinham de seguir as directrizes da Norma ECE R44/04.

A 9 de Julho de 2013 foi adoptada oficialmente pela (UNECE) United Nations Economic Commission for Europe  uma nova norma ECE R129 (Também conhecida por I-Size), que esta em vigor conjuntamente com a anterior (ou seja por enquanto ambas são válidas). Para além de Portugal cerca de mais 60 países adoptaram esta Norma. A I-Size não veio substituir a  ECE R44/04, para já!

Mas acredita-se que entre 2018 e 2020 os fabricantes produzam apenas cadeiras homologadas com a Norma I- Size e o uso de cadeiras homologadas com a ECE R44/04, acabará por ser descontinuada e até mesmo interdita.

Quais as principais diferenças relativamente à norma ECE R44?

– Prescinde-se da classificação em função do peso (0/0+/I/II/III) e a estatura passa a ser o critério determinante na escolha da cadeirinha.

– Melhoria da segurança das cadeirinhas contra colisões laterais.

– Menor risco de instalação incorrecta.

– Todas as crianças, pelo menos até aos 15 meses de idade, têm de viajar voltadas para trás.

– Utilização em veículos com lugares i-size ou equipados com sistema ISOFIX.

O Objectivo desta nova norma é melhorar a segurança e a facilidade do uso das cadeiras. A inclusão do teste de colisão lateral vai reduzir o nº de lesões neste tipo de embates. Manter o bebé virado para trás até aos 15 meses vai aumentar a protecção da cabeça e do pescoço, sabe-se que esta posição é 5 vezes mais segura do que viajar para a frente.

Agora ainda há um longo caminho a percorrer, pois ainda não são muitos os veículos com lugares com homologação i-Size. Para confirmar se o seu carro está homologado, veja as etiquetas dos bancos ou contacte a marca. Um veículo com lugares com Isofixpode ser compatível, mas é necessário experimentar a cadeira no automóvel antes de comprar. Neste caso, teste se os 3 pontos de fixação Isofix, encaixam deacordo com as instruções do fabricante.

Se o vosso carro não tem ainda lugares homologados I-Size, não é razão para ir já trocar de carro (peço desculpa a todos os pais que estavam a convencer as mães a mudar de carro por esta razão ).  Ou se já comprou uma cadeira homologada pela Norma ECE R44/04, não precisa de ir comprar outra. O importante é que use esta sempre correctamente!

Mais importante ainda, nunca se esqueça de apertar os cintos de segurança e nunca pegue no seu bebé, ao colo, durante a viagem! É preferível parar e acalmar o bebé e depois seguir viagem ou na impossibilidade deixe-o chorar! Reforço que é preferível ser ele a chorar porque quer sair da cadeira, do que você porque teve um acidente e ele sofreu lesões graves.

Os grandes acidentes dão-se em pequenos trajectos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Instagram did not return a 200.