boquinhas

boquinhas

Método das Boquinhas em Portugal – Multissensorial, fónico-visual-articulatório

“O erro é fonte de aprendizagem”

Em 2011 tive o privilégio de conhecer a Dra. Renata Jardini, no curso “Alfabetização e Reabilitação das Perturbações da Leitura e Escrita”, em Lisboa. Uma profissional dinâmica, sábia e com um brilho nos olhos quando fala do Método por si criado – o famoso Método das Boquinhas! Um método que nasceu e foi crescendo graças às dificuldades das crianças, aos seus erros, às suas respostas. Facto que foi dando corpo a um dos chavões do Método: “O erro é fonte de aprendizagem”.

Quando vi o programa do curso, pensei: “Tem tudo a ver comigo!”

A energia da Dra. Renata e o seu entusiamo são realmente contagiantes e as bases teóricas do método e tudo o que ele envolve fazem todo o sentido. O trabalho dos pré-requisitos essenciais à leitura e escrita é muitíssimo completo e inicia-se logo no Jardim de Infância de forma lúdica, natural e estruturada.

Será o Método das Boquinhas apenas uma abordagem à aprendizagem recorrendo a bocas (articulemas)? Muitos poderão pensar que sim, mas é MUITO MAIS DO QUE ISTO!

O Método das Boquinhas existe desde 1997 e é um método multissensorial, fónico-visual-articulatório, sendo creditado pelo Ministério da Educação brasileiro como tecnologia educacional.

Atualmente a obra de Boquinhas conta com inúmeros artigos científicos, variadíssimos livros publicados, com diversos materiais de apoio, 13 Jogos (Jardini), e dois conjuntos de Banners para utilização em salas de aula, consultórios e/ou domicílio. Um desses jogos, o Lince de Boquinhas está já validado como Protocolo Lince de Investigação Neuroliguística – PLIN (2012), para utilização clínica e pedagógica, para deteção precoce de perturbações de aprendizagem. Mais recentemente, em setembro de 2016 foi editado o primeiro livro adaptado para o português europeu – “Aprender a ler e a escrever com o método das boquinhas” (Caeiro, Mafalda e Jardini, Renata).

Por ser um método multissensorial, estimula a região pré-frontal do cérebro, onde a imagem articulatória do som (articulema) se forma. O facto de incentivar a criança / adulto a consciencializar-se e a sentir todo o processo que envolve a produção de um som (desde a imagem da boca, ao som – fonema –; à forma como é articulado), estimula a memória imediata (loop fonológico) e de longa duração (loop articulatório), bem como a atenção e a cognição de um modo geral, melhorando as capacidades fonológicas de quem o utiliza.

Poderá funcionar apenas como ferramenta de conversão grafo-fonémica, complementando outros métodos ou como método de alfabetização, usado na íntegra. Começa logo no Jardim de Infância e estende-se até à idade adulta, podendo ser aplicado a crianças com e sem dificuldades ou perturbações. Aliás, por apelar a múltiplas entradas é um método que chega às mais variadas crianças, respondendo de forma mais eficaz às suas necessidades. Porquê usar métodos que não resultam com esta ou aquela criança? Não valerá a pena, nem que seja por uma criança, optarmos por uma metodologia que chegue a todas?

Ao longo da metodologia, vamo-nos apercebendo da grandeza humana que está por detrás… Nos manuais, encontramos atividades cruciais ao desenvolvimento e preparação das crianças / alunos, estimulando as mais diversas áreas: atenção, consciência corporal, processamentos auditivo, visuo-espacial, consciência fonológica e fonoarticulatória, desenvolvimento cognitivo… Um processo de aprendizagem, no qual as crianças são também levadas a respeitar o outro, a aceitar as diferenças, a aprender com os erros, não tendo medo de os fazer.

Um mundo onde a aprendizagem é realmente aprendizagem, porque é sentida, vivida, experienciada, por isso, armazenada!

Com o intuito de aprofundar os meus conhecimentos no Método, tenho procurado estudar mais o mundo da leitura e escrita, fiz formação na área (inclusive no Brasil), acompanho grupos em escolas (com os quais procuro pesquisar os benefícios do Método no seu desenvolvimento) e oriento Educadores e Professores neste âmbito. Para uma melhor monitorização do meu trabalho, recebo supervisão constante da Dra Renata Jardini.

Sou multiplicadora (representante) do Método das Boquinhas desde novembro de 2012. Uma conquista que me deixa muito feliz e que exige continuidade.

Um multiplicador / representante é alguém que está apto a formar e orientar outras pessoas no método, ajudando à sua divulgação e contribuindo para o seu crescimento.

Em Portugal já ocorreram diversas formações, em Lisboa, Faro e Porto. O feedback dos formandos tem sido muito bom! Sinto que as pessoas gostaram e que, acima de tudo, perceberam que há aqui algo novo, profundo e que… RESULTA!

Acredito, pelos resultados observados e obtidos ao longo deste tempo, que esta nova abordagem é uma mais valia para a Educação Portuguesa!

Em Portugal, precisamos de mudanças, de algo novo e seguro, fácil de aplicar, que melhore a auto-estima de alunos e professores / Educadores.

 

Por Mafalda Caeiro Terapeuta da Fala – Representante do Método das Boquinhas, em Portugal.

Renata Jardini – autora do Método das Boquinhas.

imagem@zdarvie

LER TAMBÉM...

Porque está a minha filha no ensino doméstico

Dificuldades de Aprendizagem – A sua ligação com Linguagem e a Audição

Alfabetização precoce é perda de tempo