Responsabilidade e trabalho em equipa

Ao desenvolvermos determinadas competências, estamos a preparar-nos para um futuro melhor. Conforme crescemos, vamos ser mais felizes, mais empreendedores no nosso dia a dia e na nossa felicidade.

Não existem soluções mágicas,  nem pretendemos encher as vossas vidas com novas instruções mas partilhar a nossa visão sobre como olhamos a vida e como acreditamos que podemos ajudar as nossas crianças, jovens e adultos a serem ainda mais completos e felizes. Mostrar que tipo de lentes usamos nos nossos “óculos” diariamente e dar alguns exemplos de exercícios que podem fazer em casa.

Responsabilidade e trabalho em equipa, parece para uma criança um grande palavrão. Palavras com um peso imenso contudo essenciais para o nosso crescimento.

Responsabilidade vs Lei do retorno (Efeito Boomerang)
Vou começar com a responsabilidade, nada parece mais simples do que termos consciência ou responsabilidade nas nossas escolhas, no entanto levamos uma vida inteira a fingir que não sabemos disso. Não queremos ser vitimas na nossa vida mas heróis dela, seja qual for o final da história.

Como podemos ensinar tudo isto aos nossos filhos? Como podemos fazer com que as nossas crianças tenham noção que a sua vida também é aquilo que elas fazem dela, do seu esforço, trabalho, pensamentos e atitudes que têm perante o dia que nasce?

Sou mulher, filha, mãe, formadora, amiga, e desde que me lembro há uma frase na minha vida, a minha mãe dizia sempre;

O mundo só te dará o que tu deste

Desde cedo esta ideia de boomerang sempre foi uma realidade para mim, não obstante todas as condicionantes de cada uma das nossas vidas.

Hoje em dia são muitos os lugares que podemos ouvir, ler ou debater a famosa “lei do retorno”. Que fique claro que esta realidade não é a mesma coisa que afirmar que a vida é justa. Não quero falar de justiça mas de responsabilidade individual, da nossa capacidade de guiar e orientar a nossa vida com a consciência de quem somos e do que nos rodeia, do que fazemos parte.

O trabalho em equipa está intimamente ligado à responsabilidade: eu crio o meu mundo, sou parte dele, tudo o que acontece nele tem consequências em mim.

Somos parte do todo e o todo também é quem somos.

É fácil explicar esta visão a uma criança. Se dás beijinhos os outros normalmente vão ser carinhosos contigo, se refilas e estás chateado e gritas vais tornar o que te rodeia  e quem te rodeia dessa forma. Não queremos indivíduos reativos mas com consciência das suas acções, donos da sua vida.

Trabalho em equipa e a metáfora do trânsito
Trabalhar em equipa é o que fazemos diariamente na nossa família, escola, trabalho, amigos, casamento. Passamos a vida a trabalhar em equipa, um dos exemplos que gosto de dar aos meus alunos é o do trânsito. Existe maior trabalho em equipa e responsabilidade  diários  que andar de carro no meio do trânsito? Com todos os outros condutores e peões, onde todos são diferentes, onde o trabalho e responsabilidade de cada um é essencial para que todos cheguem a casa sãos e salvos.O trânsito pode ser uma boa metáfora para a vida, todos diferentes, com funções diferentes, com caminhos distintos e vontades muitas vezes similares mas cada um com o seu trabalho único.

Interessante é pedir a uma turma ou à nossa família, no jantar para enumerarem os diferentes intervenientes na metáfora do trânsito e perguntar qual o papel que cada um tem nessa realidade e qual o que gostariam de ter no futuro?

Podemos encontrar este super poder em todas as dimensões da nossa vida e ajudar as nossas crianças a perceberem e assumirem esse seu poder. Que tudo o que faço é minha responsabilidade e tem consequências, desta forma não só se irão ver de outra forma como o sentimento de pertença ao mundo será cada vez mais real. Queremos crianças com consciência que podem fazer a sua felicidade e contribuírem para um mundo cada vez melhor.

Exercícios que podemos fazer em casa com filhos, primos, crianças, jovens e adultos.

  1. Debater ao jantar a própria organização da família, como cada um contribui para a felicidade da mesma. Deixem as crianças falarem em primeiro lugar e terão uma visão clara como elas vêem o seu mundo. Dêem a vossa opinião. Vejam como o papel de cada um é fundamental, mudem de óculos e experimentem ver a vossa família em outras perspectivas. Esclareçam os vossos filhos, relembrem que aquele que faz rir a familia toda, que só de entrar na sala muda o humor de todos é um papel tão importante como aquele que chega muito tarde porque teve a trabalhar para sustentar a família.
  2. A caminho da escola pedir ás crianças para enumerarem duas coisas que sabem que vão fazer em equipa durante o dia.
  3. Debater as vantagens de trabalhar em equipa, é uma das melhores formas de aprender. Em família, amigos , colegas ou sala de aula, criar duas equipas onde cada uma defende um dos pontos de vista. Vantagens de trabalhar em equipa e desvantagens. Responsabilidade e irresponsabilidade e consequências. No mesmo dia trocar os papeis. Quem defendeu as vantagens vai defender as desvantagens com argumentos diferentes. Preparem-se para se surpreenderem, as crianças são capazes de se colocarem no papel do outro como ninguém e se estiverem dispostos aprenderão sempre muito.

 

Partilha e Comunicação positiva
A partilha faz milagres, muitas vezes existem dimensões de nós próprios que os outros não conseguem ver, pois nem nos lembramos de partilhar, mostrar ou até tomarmos consciência delas.

A comunicação efetiva e positiva são armas ao alcance de todos nós, vamos tomar as rédeas da nossa carruagem. A vida não é um conto de fadas mas a magia que cada um pode fazer na sua vida e no mundo é real.

Queremos crianças que acreditam em si próprias, conscientes do seu poder, da sua responsabilidade e da alegria que é viver em comunhão. Que o mundo também está ao alcance das suas mãos.

Que possam ver as suas vidas com o maior número de perspectivas diferentes, onde neste caso o mais é melhor. Quanto maior número de oportunidades eu tiver mais consciente vou ser das minhas escolhas. É importante termos noção que realmente podemos aprender em qualquer lugar e com todos os que nos rodeiam.

O monstro-Medo vs Arriscar
Por fim, quero referir o grande monstro da responsabilidade, o medo de escolher mal, o medo de errar, o medo de não saber lidar com as minhas escolhas. Todos temos este monstro, e nas crianças ele é muitas vezes ainda maior. Nenhum dos nossos super-poderes é estanque ou finito em si mesmo. Quando trabalhamos a responsabilidade vamos trabalhar automaticamente a nossa confiança. Essa é a maravilha da vida que com algo simples como uma partilha em família podemos trabalhar em nós tantas competências.

Para a Startiupi, arriscar é essencial.

  • Devemos ensinar a criança a experimentar, fazer, voltar a tentar, e aprender com os erros.
  • Se fizer uma má escolha e conseguir aprender algo com a mesma, esse aprendizado torna-se em algo útil que mais tarde até se pode tornar essencial para a sua vida.
  • A cada passo que dá pode aprender, que o estar consciente das suas ações, atitudes e pensamentos a tornam mais real.

No aqui e agora somos mais completos.

O fim do caminho não é o nosso objetivo, mas sim fazermos o caminho em alegria e com plena escolha do mesmo.

Presentes na nossa vida e do nosso poder, mais felizes.

Por Filipa Cunha da StartIupi,
para Up To Lisbon Kids®

Todos os direitos reservados®

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Instagram did not return a 200.