Dúvidas comuns a todas as famílias sobre a colocação do filho no 1º ano

Dúvidas comuns a todas as famílias sobre a colocação do filho no 1º ano

Estará o meu filho preparado para o 1º ciclo?

As pergunta que muitas famílias fazem nesta altura do ano antes de decidir se vão ou não inscrever o seu filho no 1º Ciclo:

  • Estará preparado?
  • Será capaz?
  • Terá a concentração certa?
  • Saberá o suficiente para entrar?

Dúvidas comuns a todas as famílias sobre a colocação do filho no 1º ano

Dúvidas pertinentes e que demonstram atenção e preocupação com o sucesso da criança, o seu desenvolvimento, aprendizagem e felicidade.

Competências Psicomotoras!

Acreditem são muito determinantes e com um impacto tão grande como se escreve o nome ou conhece os números (que tantas vezes acreditam que são as principais, e não são..)!

1.Postura e Equilíbrio

Estas duas competências são as que permitem à criança estar bem sentada, conseguir escrever em linha recta respeitando o espaço entre as linhas, movimentar os olhos adequadamente enquanto escrevem ou durante a leitura e não perder informação enquanto olham do quadro para as suas fichas ou cadernos.

2. Orientação espacial e temporal

A primeira diz respeito à noção de cima/baixo, trás-frente, próximo/distante, noções espaciais que se interligam com a lateralidade e que se reflete na caligrafia e matemática, por exemplo; a segunda influencia claramente a noção das frequências e duração de sons, ao próprio ritmo de leitura e escrita.

3. Noção de corpo

O esquema corporal, o conhecimento intelectual do nosso corpo que nos permite tocar com olhos fechados nas partes do corpo, por exemplo, é determinante para coordenar as partes do corpo e saber exatamente que parte do corpo utilizar para maior rendimento.

4. Motricidade fina

A capacidade de realizar movimentos de precisão com destreza e controlo como usar a tesoura, segurar o lápis, influencia desde a escrita à matemática.

Competências cognitivas

Atenção

A capacidade para se manter atenta e ser capaz de focar a sua atenção – Recordar que há tempos de atenção mínimos, pelo que não me refiro a uma atenção perfeita, em que a criança nem se mexe ou quase não pestaneja – mal seria;

Memória

Podemos aqui falar dos vários tipos de memória mas hoje limito-me a salientar a importância da memória auditiva seja para relembrar sons ou instruções e a memória de trabalho que nos permite no dia a dia relembrar-mos rotinas, atividades, tomar decisões com base na informação recolhida, escrever, ler, calcular, ordenar;

Linguagem

Desde a articulação, ao vocabulário à discriminação de sons, da linguagem recetiva (como receber instruções, pedidos por exemplo) à expressiva (expressar as suas ideias e argumentos);

Consciência Fonológica

Esta habilidade em identificar/manipular/relacionar sons é algo crucial para a leitura e na escrita;

 Metacognição

Algo impactante na capacidade da criança em analisar uma atividade/tarefa/instrução e de autonomamente procurar resolver o desafio aplicando o conhecimento que já tem, adaptando estratégias para atingir os seus objetivos e analisando se estará ou não perto da resolução, por exemplo.

Terminamos falando das competências socioemocionais que se referem à capacidade que a criança tem de lidar consigo mesmo, com os outros e com os próprios desafios!

Competências socioemocionais

Autoestima e autoconfiança

A primeira diz respeito à estima que tem por si mesma e, a última, à confiança em si mesma para aprender, superar situações ou até mesmo tomar decisões.

Resiliência

Ou seja, ter capacidade para se adaptar a desafios e procurar superá-los. De certa forma, falamos também aqui da capacidade para gerir a sua frustração.

 Empatia

Capacidade para compreender o estado emocional dos que a rodeiam. Atenção que isto não significa adotar esse estado e viver a situação pelo outro, mas apenas compreender que o outro se possa sentir de determinada forma, tendo em conta as suas experiências e contexto.

Inteligência Emocional

Identificar, nomear e reconhecer as suas emoções e as dos outros. Com isto também é importante referir que é muito importante que ao reconhecer as suas emoções que as saiba gerir.

 Interesse na relação com o outro

Este interesse na relação com o outro ajuda a criança superar o seu egocentrismo, consistindo também numa oportunidade para desenvolver a sua capacidade em partilhar, a sua própria identidade e serve também como um reforço da motivação para acompanhar os amiguinhos nas suas aprendizagens!

É Educador(a), Pai/mãe, professor(a) ou Terapeuta e quer saber mais sobre este tema?

Aceda a formação totalmente online e assíncrona ‘Preparar para o 1ºCiclo: a criança e a família’

Psicomotricista e autora do Blog Mais que Especial, na cidade do Porto. Conhecer a Psicomotricidade foi conhecer um grande amor.
Técnica Superior de Reabilitação Psicomotora

À paixão pelo seu trabalho com crianças com necessidades especiais aliou-se a paixão pela parentalidade nas Necessidades Especiais.

Concorda com este artigo? Deixe a sua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.