O melhor do mundo para uma criança é a entidade mãe

O melhor do mundo para uma criança é a entidade mãe

É comum ouvirmos dizer que ‘ninguém nasce ensinado’.

Mas às vezes, somos surpreendidos por mães com uma sensibilidade e uma intuição absolutamente fora do vulgar que, de repente, nos parece que nasceram ensinadas para ser mães!

Mães, com um colo que suportam toda a família. Mães que riem com o corpo todo. Outras que, ao mesmo que tempo, que abraçam com amor conseguem traçar limites consistentes e robustos que protegem a criança e a secuziram no seu crescimento.

Na verdade, às vezes, as Mães assemelham-se a super mulheres. Isto porque com com uma mão no jantar, uma mão nos avós, uma mão nos trabalhos de casa das crianças, se tornam multifunções.

As boas mães são capazes de se colocar em questão.

São capazes de se distribuir por um sem fim de tarefas. Mas também são capazes de parar quando é preciso ponderar e pensar. As boas mães permitem-se a falhar, mas falham com a convicção de que estão a fazer o melhor. De falha em falha, crescem com os seus filhos. São assim uma espécie de diamante em bruto, que embora não seja perfeito, permite-se a aprender, como se se deixasse polir.

A entidade mãe

A verdade é que o melhor do mundo para uma criança é a entidade mãe. Se não fossem as mães e os seus superpoderes, estaríamos todos muito mais tristes, muito mais assim-assim para a vida.

As mães com certificado de qualidade – e sabemos que são muitas – sabem que estão numa viagem que não permite ‘divórcio’ do filho. Que aconteça o que acontecer a luz do seu coração vai continuar ligada à luz do coração do seu filho.

Sabem zangar-se no momento certo, sabem reparar as feridas dos filhos.

Mas, quando não fazem nada disto em tempo real, ficam assim com aquele ruído de fundo dentro delas, que as faz ter uma intuição que imaginávamos inatingível. Que faz delas as melhores detetives do mundo e as faz descobrir e ser capazes de reparar cada movimento mal dado. Não é verdade que para ter certificado de qualidade, uma mãe precise de ser perfeita. Para ter certificado de qualidade uma mãe precisa apenas de sentir com o coração todo, ao mesmo tempo que, nunca desiste de se questionar e de crescer com o seu filho.

Ser mãe, às vezes, pode ser uma viagem solitária.

Rodeada de sentimentos contraditórios, de dúvidas e, às vezes de uma sensação de ‘ingratidão’ por parte dos filho. Há vezes que, faça uma mãe o que fizer, parece que ninguém lhe reconhece os seus poderes mágicos. E de repente lá vem aquele “só me vais dar valor, quando tiveres filhos”. É assim uma forma de uma mãe dizer “só vais perceber o quanto te amo, quando amares tanto alguém como eu te amo a ti”. Isto só mostra uma mãe com o coração todo e que é capaz de fazer uma birra em jeito de crescida com os seus filhos, de forma a coloca-los no lugar.

O mundo é tão melhor quanto mais mães amarem de forma singular os seus filhos como só uma entidade mãe com certificado de qualidade sabe amar.

Por Cátia Lopo & Sara Almeida, Psicólogas Clínicas

                                                                                                                             

A Escola do Sentir, promove o desenvolvimento emocional e social do indivíduo.

No mundo infantil, a Escola do Sentir prima e anseia por uma educação holística, focada na criança/adolescente, alicerçada numa intervenção com pais e numa forte vertente de intervenção social e comunitária.

Concorda com este artigo? Deixe a sua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.