O que é preciso para se ser um bom pai

O que é preciso para se ser um bom pai

O que é preciso para se ser um bom pai

Todas as crianças precisam que o pai seja uma figura de referência.

Que sejam uma fonte de segurança e também de proteção. Afinal é muitas vezes pela mão do pai que nos sentimos capazes de ultrapassar barreiras e obstáculos e que exploramos todos os lados do mundo.

Quantas vezes – perante um conflito ou um problema – não ouvimos uma criança proteger-se resguardando-se no pai dizendo: “olha que eu vou dizer ao meu pai!”?

Isto acontece porque é sempre mais fácil de ultrapassar fantasmas se o nosso pai nos der a mão e nos disser “tu és capaz! Vai que o pai está aqui teu lado”.

Assim um pai, para ser bom pai, não precisa de efeitos especiais, precisa apenas de ser capaz de permitir-se a sentir um filho, começando por:

– Deixar que um filho se chegue a si e lhe mostre todas as suas facetas sejam elas mais fortes ou mais vulneráveis.

Porque o melhor que um pai pode ser é ser um lugar e um colo onde um filho pode ser ele próprio, sem medos e sem restrições.

– Ouvir um filho

Todas as crianças precisam de se sentir ouvidas. Muitas vezes, as crianças não precisam que os pais lhes deem grandes respostas, a simples sensação de se sentirem ouvidas e as suas partilhas acolhidas junto de um pai é absolutamente reparadora e securizante.

– Permitir que um filho expresse o seu mundo emocional

Todos nós vivemos um sem fim de emoções e é muito importante que desde cedo as crianças possam ter num pai alguém que lhe permite sentir e expressar tudo aquilo que sente sem repressões e sem ter a ideia de que estar triste ou zangado é, necessariamente mau.

– Mostrar a um filho o amor que tem por ele

É comum acreditarmos que não precisamos de colocar o amor por palavras e na prática no nosso dia a dia, porque acreditamos que uma criança sabe de forma clara que a amamos. No entanto, é essencial que um pai possa mostrar na prática todo o amor que tem por um filho. Para além de, ao fazê-lo lhe transmitir que podemos falar sobre os nossos sentimentos, dá -de novo! – a um filho a segurança de que precisa para o seu bem-estar emocional e social.

Assim, sempre que um pai é tudo isto, um filho será – independentemente dos obstáculos que se coloquem no seu caminho – seguramente mais capaz e mais feliz.

E, no final das contas, aquilo que todos os pais querem para um filho é que ele seja feliz, seguro de si e capaz de enfrentar os desafios do seu dia a dia. Sendo claro que, num bom Pai reside a simplicidade do amor, a força da segurança e espaço para que cada filho seja tudo aquilo que sentir e desejar ser.

A Escola do Sentir, promove o desenvolvimento emocional e social do indivíduo.

No mundo infantil, a Escola do Sentir prima e anseia por uma educação holística, focada na criança/adolescente, alicerçada numa intervenção com pais e numa forte vertente de intervenção social e comunitária.

Gostou deste artigo? Deixe a sua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.