O que falta a alguns professores é descobrirem uma coisa

O que falta a alguns professores é descobrirem uma coisa

O que falta a alguns professores é descobrirem uma coisa

Em frente aos alunos, eu procuro nunca ter medo. Há ansiedade, mas isso é outra coisa…

Em frente aos alunos, penso que não se trata de controlar a atenção deles, trata-se de ser tão interessado, curioso e entusiasmado, ao ponto de se tornar impossível que eles não se interessem pelo que digo, mostro e faço. Mas começa por mim, pela minha preparação.

Em frente aos alunos, em sessões de sensibilização, não desespero quando não está a correr perfeitamente. Mantenho o foco, e logo as coisas melhoram, logo há um aluno que tem uma intervenção útil, por exemplo.

Em frente aos alunos, eu não me esqueço das minhas qualidades, embora não seja fácil. O mais fácil é que um grupo menos colaborante possa fazer ferida na minha autoestima. Por isso, é fundamental saber quais são as minhas qualidades.

Qual é o teu amigo que te dá energia?

Passa mais tempo com ele. Ele vai ajudar-te a recordares as tuas forças. Não se pode comprar a atenção, nem se pode agradar a todos. Temos que viver com isso.

Quando me irrito, faço um exercício: tento ver para além daquele miúdo.

  • Como é a sua família?
  • Como estará o seu estado emocional?

Quando estou em frente aos alunos, dou muito valor aos Docentes. Às vezes, o que falta a alguns professores é descobrirem que são incríveis. Porque muitos, são.

Ninguém nega o valor da educação e que um bom professor é imprescindível. Mas, ainda que desejem bons professores para seus filhos, poucos pais desejam que os seus filhos sejam professores. Isso mostra-nos o reconhecimento de que o trabalho de educar é difícil e necessário, mas que permitimos que estes profissionais continuem a ser desvalorizados. Apesar de mal remunerados, com um baixo prestígio social e responsabilizados pelo fracasso da educação, grande parte resiste e continua apaixonada pelo seu trabalho.

Este é um convite para que todos os pais, alunos e sociedade, repensemos os nossos papéis e atitudes, pois é através deles que demonstramos o compromisso que mantemos com a educação. Aos professores, fica o convite para que não descuidem da sua missão de educar, nem desanimem perante os desafios, e que não deixem de educar as pessoas para serem “águias” e não apenas “galinhas”. Pois, se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela, tampouco, a sociedade muda.”

Paulo Freire

Gosto de iniciativas “sem tretas” e com alma. Como a Up to Kids, por exemplo.

A criação do Mundo Brilhante permite-me visitar escolas de todo o país e provocar os diferentes públicos para poderem melhorar. Agitamos. Queremos deixar marcas.

Gostou deste artigo? Deixe a sua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.