família

Hoje celebra-se o Dia Internacional da Família.

Todos nós temos uma definição muito particular e individual do que é isto de nascermos, crescermos e vivermos no seio de uma família, partilhando, contudo, a ideia de que a família tem um papel muito importante nas nossas vidas. É nela que estabelecemos as primeiras relações interpessoais, é nela que aprendemos a comunicar, que descobrimos o que é isto do amor, dos afectos e, também, da frustração e do sofrimento. Foram as vivências e experiências que vivemos na nossa família que deram corpo ao sentimento de sermos quem somos e de pertencermos àquela e não a outra qualquer família.

Não existem duas famílias iguais. Mas tal como no nosso percurso individual, onde podemos identificar diferentes etapas (nascemos, crescemos, vamos para a escola, integramos o mercado de trabalho, constituímos a nossa própria família, etc.), também na vida de cada família ocorre uma sequência, mais ou menos previsível, de acontecimentos geradores de mudanças que conduzirão a uma readaptação e reorganização do sistema familiar, imprescindíveis de acontecer, de forma a que a família consiga ultrapassar os desafios inerentes a uma nova fase. A esta sequência dá-se o nome de ciclo vital da família, que contempla as seguintes etapas:

1ª etapa – Formação do casal

A família nasce nesta etapa. O novo casal tem pela sua frente um mundo de descobertas, ao mesmo tempo que se depara com os seguintes desafios:

– Estabelecimento de compromisso (que não tem que ser legal ou de caráter religioso);

– Criação de uma relação conjugal mutuamente satisfatória, onde exista espaço para o Eu, o Tu e o Nós;

– Negociação e estabelecimento das normas, regras, limites e fronteiras do casal;

– Realinhamento das relações com as famílias de origem e os amigos de modo a incluir o cônjuge.

ARTIGO RELACIONADO | SER FAMÍLIA

2ª etapa – Família com filhos pequenos

Com o nascimento do primeiro filho inicia-se uma nova fase no ciclo vital da família, com os seguintes desafios:

– Ajustamento da relação de casal de maneira a criar espaço para o/a filho/a, com todas as suas necessidades físicas, psicológicas e afectivas;

– Assumir os papéis parentais e harmonização dos mesmos estre o casal;

– Realinhamento das relações com as famílias de origem, a fim de incluir os avós, tios, primos, etc.

3ª etapa – Família com filhos na escola

A entrada do filho mais velho na escola marca o início de uma nova etapa no ciclo de vida da família. Com ela novas experiências e exigências se colocam aos seus elementos:

– Os pais passarão a assumir novas responsabilidades, inerentes ao processo de aprendizagem do/a seu/sua filho/a, que agora terá acesso ao “conhecimento dos grandes”.

– Com a entrada para a escola inicia-se o processo de separação entre pais e criança, que culmina na adolescência;

– Verifica-se uma maior abertura do sistema familiar ao exterior, através do relacionamento com a escola, agentes educativos e outras famílias que se encontram na mesma fase, estando a família mais “exposta” a comparações, competições e à pressão das expectativas sociais;

4ª etapa – Família com filhos adolescentes

Muitas vezes associada a aspetos negativos, como: rebeldia, conflitos, desobediência, excessos, consumos e uma comunicação difícil, a entrada na adolescência é geralmente encarada pela família com alguma apreensão e ansiedade.

– Os pais terão a difícil tarefa de encontrar o equilíbrio entre liberdade e responsabilidade, devendo ocorrer uma flexibilização dos limites;

– Mudança na relação pais-filhos – preparação para a saída do/a adolescente do sistema familiar;

– Verifica-se uma recentração nos aspetos da vida conjugal, pessoal e nas carreiras profissionais;

– Início da função de suporte à geração mais velha.

5ª etapa – Família com filhos adultos

Chegamos assim à última etapa do ciclo de vida da família, mais conhecida pela fase do ninho vazio. Não devendo ser encarada como o fim de alguma coisa, esta é uma etapa de redescoberta e reconstrução. Assim, os seus principais desafios são:

– Permitir a separação e o “lançamento” dos filhos no exterior;

– Reconstrução da relação de casal;

– Redefinição da relação com os filhos, tratando-se agora de uma relação adulto-adulto;

– Inclusão de novos elementos na família (noras, genros, compadres, netos, etc.)

– Adaptação à reforma e ao envelhecimento.

Todas as fases do ciclo de vida da família comportam desafios, reajustamentos, dificuldades e algum stress para a família. Por vezes iniciam-se crises e surgem problemáticas, que podem parecer de difícil resolução. Contudo, a mensagem que gostaria de passar, no dia de hoje, é que que uma família nunca deixa de o ser e que é nela que encontramos o maior e melhor amor de sempre e para sempre.

Bom Dia Internacional da Família, em Família.

imagem@vistanews

1 thought on “A Família
  1. Gostei imenso deste artigo sobre a Família. Como já estou na última fase descrita aqui no texto confirmo que a identificação de todos os items está perfeita e que, de facto, temos que dar espaço ao nosso marido/companheiro, ajustarmos a nossa vida com a chegada dos filhos e, mais tarde, com a formação de novas famílias decorrentes da nossa, ou seja, dos nossos filhos. Há que haver respeito pelas opções de cada um, não abdicando os seus princípios e, principalmente, nunca se anular perante o seu parceiro. De facto, viver em Família alargada é uma tarefa que requer boa vontade por parte de todos os intervenientes e, acima de tudo, respeito pelo espaço de cada um. Estamos todos juntos mas independentes. Seremos assim uma Família Feliz! Não é fácil mas sendo-se hábil consegue-se com facilidade.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.