dizer por palavras

Algumas coisas que (ainda) não vos consigo dizer por palavras

Mãe… Pai… Há algumas coisas que vos gostava de conseguir dizer por palavras, só que muitas vezes não tenho as palavras certas, mas hoje vou tentar. Estejam com atenção! Aqui vai…

Eu sei que há uma coisa que vos deixa um bocadinho zangados… é quando eu faço birras… Mas olhem, quando eu faço uma birra, eu não preciso que me dêem tudo só para eu parar de chorar. Isso ensina-me que chorar é uma boa maneira de conseguir o que quero, mas na verdade eu até nem gosto de chorar, faz-me sentir mal.

E há também outra coisa… eu às vezes só faço birra para ter um bocadinho da vossa atenção, se vocês perceberem isso se calhar eu vou conseguir controlar-me melhor.

Lembrem-se de uma coisa, o que eu mais quero é a vossa atenção, e se vocês não dizem nem fazem nada quando eu me estou a portar bem, o que eu penso é que vocês não me estão a ligar. Mas se assim que eu faço um disparate vocês vêm logo ter comigo (mesmo que seja para ralhar), então eu fico a achar que vocês só me vão ligar se eu me portar mal e, por isso, volto a fazê-lo. Às vezes fico um bocadinho confusa, afinal vocês não querem que eu me porte bem?… Prefiro que me dêem atenção quando me porto bem, e quando eu fizer algum disparate (se não for nada de grave), não me dêem atenção. Eu vou acabar por perceber que não vale a pena fazer isso para vos ter por perto.

Quando vocês me impõem regras, vocês já devem ter percebido que eu às vezes não gosto muito e, na verdade, preciso testar um bocadinho para perceber até onde é que vocês estão realmente dispostos a deixar-me ir. Mas, sinceramente, eu fico um bocadinho assustada quando não sei quais são os limites, fico perdida e desorientada… Acho que eu preciso de regras, mesmo que às vezes pareça ficar zangada, não deixem de as colocar e me fazer cumpri-las.

Há momentos em que vocês me criticam muitas vezes e não me dizem as coisas boas que eu tenho e que sei fazer, e nessas alturas eu acabo por acreditar mesmo nisso, afinal de contas, vocês são os meus pais e se vocês o dizem é porque é verdade, mas isso deixa-me desanimada, insegura e faz-me sentir ainda mais pequenina.

Sabem… eu fico mesmo feliz quando vocês me elogiam pelas coisas que eu consigo fazer. Para vocês, podem parecer pequenas coisas, mas na verdade eu sou pequenina e, por isso, para mim, essas coisas são muito grandes! Eu gosto muito dos vossos mimos, aplausos e elogios nesses momentos.

Eu sei que às vezes sou um pouco mexida, que faço disparates e que vocês, por vezes, estão muito cansados, mas eu não faço de propósito para vos chatear ou zangar… preciso que me aceitem como sou, me compreendam e que tenham um bocadinho (do tamanho do mundo) de paciência e tolerância comigo.

Eu preciso muito que me respeitem, mas eu preciso também que lá em casa não mandemos todos o mesmo… para eu me sentir segura, eu preciso sentir que são vocês quem toma as decisões nas situações mais importantes. Não eu… Na verdade, eu não gosto muito de lutas de poder. É uma coisa estranha eu estar a “lutar” com um adulto para ver quem ganha.

E só mais uma última coisinha… eu não estou à espera que vocês sejam perfeitos, eu vou amar-vos sempre. Mesmo que às vezes diga o contrário, não é verdade, está bem?! É só porque estou zangada.

Há muita coisa que não vos consigo dizer por palavras. Ainda sou criança e isso é difícil para mim, mas se me fizerem sentir segura e protegida e me ajudarem a falar de sentimentos, tenho a certeza que, quando for mais crescida, vou conseguir fazê-lo muito melhor. Conto convosco para isso. Amo-vos muito!

A vossa filhota

(5 anos)

Cátia Teixeira, Psicóloga Clínica

imagem@freepics

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.