sem-cadeados

sem-cadeados

Amor sem cadeados

Amor sem cadeados

No momento em que terminei aquela relação senti-me livre.

Foi para mim a mais difícil conjetura de palavras que consegui proferir.

Não quero ter filhos contigo (mas queria), não quero casar contigo (mas queria).

Serias um péssimo marido (sim é verdade, ainda assim eu queria).

Mas o que doeu mais, o que doeu mesmo a sério? Foram todos os anos de incerteza, do será que quer, será que vem, será que gosta.

Foram todos os abraços que não me deste, todas as palavras que não disseste, todos os dias que não ligaste.

E no momento em que terminei aquela relação senti-me tão livre. Estranhamente desprendida.

Contigo aprendi a não esperar nada enquanto esperava tudo.

Nunca acreditei no amor para sempre e muito menos num amor preso… Por isso o meu amor é livre.

Para crescer, para evoluir, para mudar ou acabar. Mas acima de tudo é livre para todos os dias, sem cadeados ou trancas, querer ficar. Um amor solto, que vai mas volta porque não consegue estar longe.

Este amor já não tem cadeados. Sou livre. És livre. E foi só preciso dizer em voz alta para o coração ouvir

Não posso continuar”, “não quero mais.”

No momento que que terminei aquela relação senti-me livre.

1 thought on “Amor sem cadeados
  1. Inês Clímaco diz:

    É um grito de alma, mas penso não ser este o espaço adequado para registar esse mesmo grito.
    Este espaço é dedicado a todas as escritas que envolvam as crianças e aqui …apenas está o envolvimento de dois adultos.
    Penso não ser este o espaço adequado!!!!!!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.