viagem-de-finalistas

viagem-de-finalistas

Carta à minha irmã em vésperas da viagem de finalistas

Meu amor,

É mesmo como dizem, a viagem de finalistas é daquelas coisas que só vivemos uma vez na vida. Quer dizer, depende de quantas etapas irás terminar, mas em cada uma delas será único.

Tens dezassete anos e sabes tudo. Eu sei, também já tive a tua idade e acredita que sei o que é sentir isso e não perceber que as pessoas à minha voltam não o entendam…

Mesmo assim, e mesmo sabendo que tens a cabeça e o coração no lugar certo, não posso deixar de te escrever esta carta, nem que seja para que ela fique guardada no fundo da tua memória e te ajude a tomar as melhores decisões para ti, nos momentos mais cruciais.

Nunca, em tempo algum, saltar de uma varanda para outra será uma boa ideia. A sério, pode parecer super divertido, mas pode acabar mal e para quê estragar a festa?

Vais conhecer gente nova e, com sorte, interessante. Aproveita para te divertires, para dançares muito e dormires pouco (recuperas quando voltares), mas não vás atrás de tudo o que fazem. Eu sei, eu sei, não és dessas, mas às vezes quando estamos todos juntos pensamos “e por que não?”. E tantas vezes não há um motivo que pareça verdadeiramente válido para nos deter. Que o motivo seja a razão a falar mais alto, pode ser?

Às tantas vai achar que tão depressa não haverá tanto álcool à disposição como ali. Talvez seja verdade, mas aqui fica um segredo: ele não se esgota se bateres todos os records do mundo. Não precisas de provar nada a ninguém, nem de beber até cair, ou beber de manhã à noite, ao ponto de não saberes quem és e o que estás a fazer. Isto sem ter de bater na tecla de nem sequer teres idade legal para te servirem álcool, mas já nem vou por aí.

Mesmo que o teu príncipe encantado surja numa nuvem de fumo, com os músculos do peito a espreitarem debaixo da t-shirt molhada… bem, provavelmente não será o teu príncipe encantado, por isso não tomes nenhuma decisão precipitada. E, aconteça o que acontecer, lembra-te de todas as precauções que deves tomar. Sempre, sem excepção, porque o que acontece em Punta Umbria não fica necessariamente em Punta Umbria.

Depois, de vires alguém, seja teu amigo ou não, fazer alguma coisa que o ponha em risco a ele ou aos outros… eu sei que pode ser chato, mas pede ajuda.

Sei que vai correr tudo bem e que vais criar memórias que vão ficar para sempre.

Faz por isso.

Só depende de ti.

Diverte-te, meu amor.

Espero-te no regresso para trocarmos cromos e para te chatear com comentários que incluem frases como “no meu tempo também fazíamos isso!” 😀

Ah, e tem juízo.

imagem@weheartit

LER TAMBÉM…

Carta aos adolescentes.

Carta à minha irmã adolescente

As palavras que te vou tentar dizer, agora que és adolescente