A pandemia e as férias 2020. Um ano diferente em tudo.

A pandemia e as férias 2020. Um ano diferente em tudo.

A pandemia e as férias 2020. Um ano diferente em tudo.

Pois é, e num ápice chegámos à altura mais desejada do ano. As férias!

Mas que férias?

Sim, não são umas férias como as outras que vivemos até hoje. De facto, esta pandemia que vivemos dá-nos que pensar sobretudo sobre aqueles que mais gostamos e amamos, mas também sobre o porquê disto tudo estar a acontecer. Não nos podemos esquecer que estamos sob um acontecimento massivo viral, proveniente de uma certa biodiversidade de seres ou de um único ser. Ou talvez de um possível evento de laboratório que não correu tão bem.

Pode especular-se muito sobre a origem desta pandemia, mas o que é certo é que o mundo mudou e está a mudar. A vida mudou, os hábitos mudaram.

Devemos olhar para tudo isto como um sinal do que fizemos até aqui ao planeta, mas não só.

O que fizemos a nós próprios e toda uma construção de uma sociedade gananciosa, capitalista e cega. Agora, se ainda for possível mudar, é a altura. Mas falemos de coisas bem melhores.

As férias. Como vão ser as vossas férias? No fundo serão um prolongamento do estado de confinamento ou desconfinamento. Para alguns que tiveram a sorte de sair da cidade de Lisboa, agora epicentro da pandemia, foi uma redescoberta de todo um local mais simples, mais calmo, mais conectado à natureza. E podem crer, com mais qualidade de vida.

E agora? O que fazer?

A loucura da procura de casa fora das grandes cidades aumentou exacerbadamente e fez disparar alguns preços. Mas a oferta também aumentou? Os ingleses não vêm, ou pelo menos em massa como de costume, e com isso deixa um Algarve mais leve, mais vazio. Por um lado ainda bem todo este boom (vá para fora cá dentro) porque sempre estimula a economia e os negócios e as regiões, que estão muitas delas ao abandono ou a atravessarem fases complicadas.

É toda uma nova realidade a que muitos portugueses não estavam habituados.

Mas terão de se habituar pois ainda está para durar. E retirem as coisas boas que esta conjuntura nos dá. Estamos com quem mais gostamos, conhecemos sítios novos que provavelmente em condições normais não conheceríamos. Há toda uma nova realidade que podemos aproveitar em nosso benefício.

Apesar dos tempos diferentes, aproveitem bem o sol, o calor deste nosso país tão grande cá dentro, e por vezes tão esquecido por nós próprios. A oferta hoteleira ganhou uma qualidade extraordinária nos últimos anos.

Vamos apoia-la.

Existem sítios para todos os gostos e todas as carteiras. Bem sei que nesta altura é um pouco complicado para algumas famílias pensar em gastar, pois não sabem o dia de amanhã. Serão certamente umas férias diferentes. Umas férias desassossegadas mas aproveitem para pensar ou repensar na vossa vida.

Saímos de um período letivo muito duro. Quer para os pais, mas principalmente para os professores. Foram, no nosso caso, uns heróis.

Este período foi igualmente positivo para algumas famílias, para outras nem tanto. Umas saem mais fortalecidas, outras menos, outras destruídas..

Acreditem, muito ou pouco, estamos todos nesta turbulenta tempestade de mudanças, de adaptações, de inseguranças mas todos temos um objetivo comum:

Que fique tudo bem! Protejam-se pois estão a proteger o próximo. Ajudem o vosso semelhante a ultrapassar isto que todos tanto queremos.

40 anos, casado, pai de 2 filhas, diretor de comunicação e sustentabilidade da APSA – Associação Portuguesa de Síndrome de Asperger.

Somos uma associação de afetos, como diz a presidente da APSA, uma pessoa fora de série como há poucas nesta vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Instagram did not return a 200.