livre

livre

Minha Filha, és livre.

Meu amor,

Nasceste num país em crise, mas em paz.

Vivemos em democracia e isso significa que tudo (ou praticamente tudo) aquilo que dás por adquirido foi uma conquista.

A tua liberdade foi uma conquista e devias valorizar as pequenas coisas, honrar os privilégios que te foram concedidos sem que para isso tenhas precisado de mexer um dedo.

Sê grata, porque és livre para ter a tua opinião.

És livre de sair do país sem precisares da autorização do teu marido ou do teu pai.

De conversar com os teus amigos na rua, em grupos grandes, sem serem olhados com desconfiança.

De votar. De votar em quem quiseres. De não votar.

De usar calças, saias, maquilhagem.

De amares quem tu quiseres.

De pensares e dizeres em voz alta o que pensas.

De estudares, de teres direito à tua educação.

De ter acesso a todos os livros que são escritos no mundo, de veres os filmes que existem sem partes censuradas.

De desejar ter um emprego, seja ele qual for e lutares por isso.

De ganhar e gerir o teu próprio dinheiro.

De casar. De terminar um casamento. De voltar a casar. De não casar de todo.

De fazeres ouvir a tua voz.

De pedir ajuda.

De praticar todos os tipos de desporto.

De denunciar injustiças.

De desejar um mundo melhor e lutar por ele.

De sonhar.

De concretizar.

De continuar a conquistar, aos poucos, vitória atrás de vitória.

Apenas te peço que não esqueças uma das mais valiosas lições: a tua liberdade termina onde começa a dos outros.

E que bom é ser livre!

imagem@weheartit

LER TAMBÉM…

Educar na Liberdade

Liberdade de Expressão – um direito e um dever

Brincar… livremente