quando fores mãe

Quando fores mãe

Quando fores mãe vais ver o mundo com outros olhos.

Vais dormir menos e pior.

Vais ouvir conselhos desnecessários e uns poucos que realmente ajudam.

Vais perder minutos do teu dia à espera de atravessar a ruas porque se ensinaste que só se pode passar quando o sinal está verde, então é isso que fazes.

Vais ter novamente cinco anos, fazer coreografias de músicas, rir como se ninguém estivesse a ver.

Vais fazer planos e perceber que às vezes o melhor é não fazer planos.

Vais cozinhar mais sopas do que as imaginavas possíveis.

Vais gabar a imaginação da tua mãe, que conseguiu sempre fazer comida diferente para pôr na mesa.

Vais desejar ser tão boa como ela (se tiveres um bom exemplo) e trabalhar para chegar lá perto (ou para seres completamente diferente, se não tiveres tido a sorte de ter uma boa mãe).

Vais sentir o peso da gravidade, não só no corpo mas porque os teus filhos invariavelmente, quando te dão a mão, têm tendência para puxar os braços (o que é que lhes dá?? ?)

Vais mudar demasiadas fraldas e bater palmas quando essa fase chega ao fim.

Vais cantar para acalmar o teu filho, por mais desafinada que seja a tua voz.

Vais dormir com sentimento de culpa mais noites do que gostarias.

Vais sentir-te a pessoa mais afortunada do planeta por que ter um filho maravilhoso.

Vais rir-te sozinha quando te lembrares das saídas que os teus filhos têm.

Vais lembrar-te de quando eras miúda e de como as coisas mudaram tanto.

Vais ter medo.

Vais ter coragem.

Vais estar muitas vezes sozinha (metafórica e literalmente).

Vais estar a maior parte do teu tempo em casa acompanhada.

Vais ser chamada milhões de vezes por dia. Assim que parares para descansar dois minutos. Assim que entrares na casa de banho. Assim que pousares o livro e apagares a luz para dormir. Assim que puseres a série no play.

Vais ensinar a andar, a correr, a levantar depois de cair.

Vais ajudar a subir ao escorrega e a descer sem medos.

Vais limpar ranhos, feridas, lágrimas.

Vais sacudir poeira, desvalorizar nódoas, autorizar brincadeiras nas poças.

Vais medir a temperatura, dar beijinhos na testa, dar colo.

Vais ralhar e apontar o dedo.

Vais mandar arrumar, mas também vais brincar.

Vais sorrir e em alguns dias esses sorrisos serão o que te salva.

Vais dar a mão. Vais receber a mão dos teus filhos na tua mesmo quando não a pedes.

Vais ser abraçada. Vais receber carinhos. Vais ser amada.

Vais amar como nunca amaste antes.

Vais defender as tuas crias do mundo.

Vais aprender a vê-las de forma imparcial e a reconhecer as suas falhas.

Vais fazer o que estiver ao teu alcance para as falhas serem recuperadas.

Vais falhar.

Vais cair.

Vais ter arrependimentos.

Vais perder a paciência.

Vais ter vontade de virar costas e ir embora.

Vais ficar.

Porque é disso que as mães são feitas.

imagem@weheartit

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.