Quando nasce um bebé nasce muito mais do que uma vida.

Quando nasce um bebé nasce, também,  muito mais do que uma vida.

Há uns dias vi uma imagem algures por aí na net dizia:

Quando nasce um bebé, nasce um coque! ”. Pensando bem, quando nasce um bebé nascem em simultâneo tantas coisas.

Nasce uma família! Todo um mundo de pessoas para conhecer e desejosos de conhecer o novo membro.

Nasce o coque. O tão prático coque, que permite mudar fraldas, pegar e evitar que eles se agarrem aos nossos cabelos.

Nascem nódoas. Um pouco por todo o lado, como se fossem cogumelos. Manchas de leite, de sopas, de fraldas sujas…

Nascem olheiras. Fruto da tão sofredora privação de sono. Do ter que estar acordada a cada 2/3 horas.

Quando nasce um bebé nasce, também, o cansaço. As obrigações são muitas e o descanso é curto, e um enorme cansaço instala-se para ficar.

Nasce um brilho nos olhos. Aquele brilho único de uma mãe que olha para o seu filho. É tão único. Tu sabes.

Nasce um encaixe perfeito. Aquele que costumo dizer: “Não há encaixe mais perfeito do que o de um bebé no colo de sua mãe”

Nascem dúvidas e incerteza. Tão características das mães, tão naturais, tão carinhosas. Afinal, estas dúvidas não são mais do que a busca do melhor para eles.

Nasce um cheiro. Aquele cheirinho que só um bebé tem, e que é tão delicioso.

Nascem novas aventuras todos os dias. Um banho salpicado, um xixi na cama, um primeiro gatinhar, uma primeira palavra, uma queda, um susto, um passeio em família… Uma nova aventura e algo para contar todos os dias.

Quando nasce um bebé nasce, também, uma mulher. Ela não sabe, mas renasce. A mulher é agora mãe, e a mãe é uma outra mulher. Uma mulher capaz de mover o mundo. Um mulher que tem a força de um super-herói e o coração a bater fora do peito.

Quando nasce um bebé nasce uma vida. O bebé! Já pensaram em tudo o que eles ainda vão viver… Tudo o que ainda vai acontecer… Haverá maior “milagre” que este?

Quando nasce um bebé, nasce um amor. O maior de todos. Sem fim, sem medidas. Incontrolável, imensurável. Tão grande e tão forte que dói, que nos faz chorar, e que faz de todas nós mães felizes, todos os dias!

imagem@comfort

Quando entrei no mundo da maternidade, descobri uma nova pessoa em mim, e toda uma nova forma de ver a vida.

Assim, e porque encontrei muitas dúvidas, criei o blog Sei Lá eu ser mãe. A maternidade aos meus olhos. Sem rodeios nem floreados. Software tester de profissão, é a escrever que me sinto livre.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.