Se antes de ter filhos eu soubesse

Se antes de ter filhos eu soubesse

Se antes de ter filhos eu soubesse as noites que ia passar em claro,

Se eu soubesse a quantidade de fluidos corporais que ia limpar ao longo da infância dos meus filhos,

o quanto o som da palavra “Mãe? Mãe? Mãe?” me ia pôr os nervos à flor da pele ao longo de uma década (mínimo)

Se soubesse que ia demorar mais na casa de banho, só para ter um tempinho para mim,

que esses momentos roubados na casa de banho iam quase sempre ser interrompidos por algum dos meus filhos a bater ininterruptamente na porta.

 

Se eu soubesse a quantidade de vezes que ia ter de repetir as mesmas ordens, os mesmos avisos e as mesmas chamadas de atenção,

Se soubesse que a solução mágica para as queixinhas, choros, desobediências, faltas de respeito, e para a preguiça só ia ser eficaz apenas metade das vezes,

Se eu soubesse que amar os meus filhos não significava gostar deles o tempo todo.

 

Se eu soubesse que às vezes ia chorar no duche por ser o único sítio onde conseguia estar sozinha,

Se  soubesse que em determinada altura ia sentir-me de tal maneira “num oito” que só de pensar em entrar em ação com o meu marido me causava arrepios,

que nunca mais ia ser capaz de concentrar-me em nada de alma e coração, senão nos meus filhos.

 

Se eu soubesse que a situação não fica mais fácil à medida que os filhos crescem, apenas se complica de formas diferentes,

Se soubesse o quanto me ia preocupar a possibilidade de falhar enquanto mãe

que ser mãe ia ser, para sempre, um desafio permanente…

 

Eu tinha tido os meus filhos na mesma. Porque se não os tivesse…

Nunca saberia o que é o milagre de ter uma vida a crescer dentro de mim.

Que o cheirinho da cabeça de um recém-nascido parece o paraíso,

nem saberia o que é a magia de ter um bebé a dormir nos meus braços, e nunca mais querer pô-lo no berço.

 

Nunca saberia o que é a imensa felicidade de ver um filho a dar os primeiros passos. A comer sozinho, a andar de bicicleta, ou ler um livro inteiro pela primeira vez.

Que o riso dos filhos, pode alegrar o pior dos nossos dias

Não saberia como um simples e inocente olhar de espanto, me derrete o coração,

Nem o quão fantástico é assistir diariamente à evolução de uma criança que eu trouxe ao mundo.

Não sentiria o orgulho de ver o meu filho a viver situações complicadas. A desenvencilhar-se com base nos ensinamentos que lhe transmiti.

Não viveria a alegria desenfreada que é ver os meus filhos a triunfar.

Não saberia o gratificante que é desafiar-me diariamente para ser uma mãe melhor,

nem que ser mãe ia ajudar-me a entender algumas questões mal esclarecidas desde a minha infância.

 

Hoje não saberia que ao transformar-me numa mãe ia encontrar uma versão mais profunda, mais forte, e mais verdadeira de mim própria.

Nunca conheceria o amor incondicional dos filhos.

Não sentiria a energia e a força desta poderosa forma de amar, que só uma mãe/pai conhece.

Não saberia que a dor e as armadilhas que nos aparecem no caminho são superadas pela beleza, alegria e pelas maravilha desta viagem.

 

Por tudo isto, se eu soubesse na verdade o que era a maternidade, eu teria feito tudo como fiz…!

… Se calhar, teria aproveitado para dormir um pouco mais antes de ser mãe.

 

Por Annie Reneau, publicado originalmente em Scary Mommytraduzido e adaptado com autorização por e para Uptokids®


imagem@Luna Belle

 

LER TAMBÉM…

Carta às mães mais que perfeitas

As 7 primeiras vezes depois de sermos pais

Amor de mãe

27 thoughts on “Se antes de ter filhos eu soubesse
  1. Como pai fico triste quando alguém diz que não há nada melhor que o amor de mãe,eu como pai e embora não tenha essa sublima faculdade de poder dar á lúz, posso dizer com autoridade, que no que toca amar os filhos eu não sou em nada diferente das mães, e se a mãe é impotante na vida de um filho, o pai não o é menos, o pai e a mãe completam-se, poderia desenvolver muito mais a minha tese com outras palavras, mas não vale a pena,quem ama os seus filhos como eu amo comprenderá,cada um tem o seu papel na vida dos filhos,quantos pais, já fizeram e continuam a fazer o papel de mãe e pai, e que bem que eles o fazem, claro que mãe só á uma, quer queiramos ou não pai tambem só á um.

  2. Maria Catarina Galaio Faias diz:

    Adorei este texto e deixo aqui mais uma vez a minha opinião sobre o amor de mãe Sou uma mãe muito muito feliz por o ser .
    Mas não deixo de enaltecer o amor de pai mas um pai como eu tive ,o não só meu pai foi o meu melhor amigo meu confidente, o bom ouvinte nas minhas horas boas ou más estava sempre presente para mim
    Obrigado paizinho onde estiveres que seja no melhor lugar que o céu possa ter sei que continuas a velar por esta tua filhinha todos os dias da minha vida sempre me recordo de ti
    Que descanses em Paz

  3. Margarida Cunha diz:

    Excelente texto. Parabéns 🙂 Só nós, mães, temos este sentimento de AMOR pelos filhos. Um pai nunca é a mesma coisa.
    Mãe … é SEMPRE Mãe 🙂

  4. mario alexandre duarte ferreira diz:

    eu me revi em tudo.agora como avo sinto este amor quase igual…

  5. Costumo dizer o que sinto pela minha filhota, não tem explicação é algo tão profundo, tão intenso, tão, tão,… Todas as noites lhe digo amo-te infinito… 🙂 adorei o texto e claro as lágrimas correram rosto fora! Obrigada

    1. E a minha mais que tudo faz aninhos amanhã 🙂

  6. Nunca tive duvidas e aqui se confirma. Não há amor maior que o AMOR DE MÃE. Parabens a quem o descreveu.

  7. Se eu soubesse que ser mãe é tudo isso e mais alguma coisa. Faria tudo outra vez. Estou amando ser mãe ♥

  8. Foi uma amiga que me mandou esse link, agradeci-lhe e a ti também te agradeço por retratar com tão perfeita precisão o nosso maravilhoso dia a dia.

  9. De facto só percebe, só solta a lágrima teimosa, só sente saudades das noites perdidas quem é mãe. A maternidade dá a visão mais bela do mundo ! Tenho dois rapazes um com 30 anos e outro com 17 anos. A diferença de idade não é dificil nem nunca foi para a relação deles. É a grande benção da vida. Grata pela forma como “desenha” este que é o grande QUERER de muitas vidas !

  10. É realmente muito complicado, cansativo e às vezes desesperante, mas sem dúvida MUITO compensador o papel de Mãe. Como mãe de 3 filhotes, uma de 13, um de 3 e um de 1, confesso que concordo plenamente com estas palavras e até me emocionaram.

  11. Maria manuela freitas diz:

    Se há algo na vida que sei ,que nunca me arrependi foi ter tido as minhas filhas, e que sempre as priorisei e vou priorizar sempre, e um amor único para toda a vida , e acreditem que vale a pena todos os sacrifícios que se passam, toda a entrega que lhes damos mais tarde quando já crescidos temos a recompensa . Mt lindo este texto parabéns xana

  12. Gostei imenso do que li e revi-me nas múltiplas frases deste maravilhoso artigo ao longo da minha vida como Mãe de 3 filhos.
    São tudo coisas que nós, como Mãe ou Pai, sabemos que se passaram connosco mas a verdade é que é uma experiência tão gratificante e sublime que é nunca é demais recordá-la! Parabéns e Obrigada.

  13. fernanda afonso diz:

    valeu a pena ler o que li, porque é o que sinto…..graças a Deus não sou a única…..ADORO SER MÃE, ACIMA DE QUALQUER OUTRA COISA <3.

  14. Acrescento: Se eu soubesse tudo isso teria na mesma três filhos que eu adoro ter o previlégio de ver crescer

  15. Chorei, à medida que ia lendo este texto tão maravilhoso!! Obrigada filha!!

  16. Adorei texto , sou mãe fiqei om a lagrima no canto do olho 😉

  17. O meu filho mais velho completa amanhã 18 anos…
    Chorei ao ler este texto…
    É exactamente isto! … 🙂 <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.