Muito se tem escrito sobre as divergências entre ser mãe de um menino vs. mãe de uma menina! Penso, que o corolário da diferença de género não é assim tão grande, que nos leve a pensar que menino ou menina fará toda a diferença na forma como os acolhemos em nós, mães! Mas ser mãe especificamente do João, Manuel ou, neste caso do Daniel, aí sim …faz toda a diferença, porque somos seres individuais e dentro da nossa individualidade possuímos características que nos tornam únicos.

Ser mãe do Daniel não foi um sonho concretizado, foi antes um planeamento! O dar ouvidos à irmã (4 anos), que insistia permanente em ter um mano, uma mana, ou um bebé) …qualquer “coisa” servia, desde que existisse um outro ser no seio familiar! E aí …chegaste tu! Chegaste apetrechado de tantas e tantas sabedorias, que hoje, eu reconheço que jamais seria a pessoa que sou, se não tivesse a sorte de te albergar em mim … Chegaste numa fase de calmaria vivencial, crescendo embrulhado no afeto e nos valores que te transmiti …os mesmos que me ensinaram e persistem em me acompanhar na praia da vida. A amizade, sentimento que sentes na sua verdadeira essência, fez com que os amigos de criança te acompanhassem até hoje, adulto. O respeito pelo outro, que é apanágio teu, a solidariedade, a tolerância para com os Outros …”porque nem todos vemos da mesma forma e de todos os ângulos” (palavras tuas), a honestidade, a verdade, enfim …tudo que faz de uma pessoa …um ser humano cidadão completo e acima de tudo, filho. Sensível a todos que são desprotegidos, justo na avaliação dos factos, aprendi contigo que nem sempre a nossa visão é a mais certa e que, através do diálogo, deveremos sempre tentar a conciliação.
Aprendi a desvalorizar as coisas materiais e que o dinheiro só é importante enquanto precisamos dele.
Aprendi que viver a vida engloba o nosso bem-estar, mas também o bem-estar de todos os que nos rodeiam.
Aprendi o ver o mundo colorido, mesmo nos dias em que o sol se esconde e a chuva nos trespassa.
Aprendi, que sem ti … a minha vida estaria despida!
Todo o filho necessita de uma mãe, mas há filhos especiais, sem os quais nenhuma mãe o seria em pleno…!

imagem@medportal

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Instagram did not return a 200.