super-herois

super-herois

Super-heróis – Qual o poder destes heróis na vida das crianças?

Vamo-nos deixando levar por modas, mas os super-heróis passam de geração em geração como um legado precioso que se imprime na memória. Foram histórias de BD que se transformaram num reino maravilhoso cheio de poderes e influência.

Muitos de nós, como pais educadores, temos receio que este mundo imaginário confira imitação de comportamentos e condutas, trazendo um grau exagerado de agressividade aos nossos filhos (normalmente as meninas mesmo com super-poderes não deixam de ter um toque feminino e de certa delicadeza).

Ter a capacidade de voar, saltar bem alto, esmagar e no final vencer o mal é um feito imenso e dominador. A criança identifica-se com um dos heróis, toma para si os seus poderes e imita na vida real o mundo fantástico que criou internamente.

Os super-heróis são instrutivos e as suas histórias têm intenção de fazer valer a natureza moralista da sociedade. Mas para além de fazerem uso de superpoderes, estes heróis têm uma influência positiva pois ensinam a importância da autodisciplina, do auto sacrifício e de nos dedicarmos a algo bom, nobre e importante, ensinam que a ética é preciosa, a justiça funciona, os valores morais são benéficos. E quando lidam com os medos humanos e dilemas do dia-a-dia, os super-heróis são inspiradores e corajosos, e os aspectos vistos como positivos da personagem são imitados, numa tentativa de internalizar o poder e vencer. Que é o que todos queremos no final do dia … conseguir lutar e vencer as injustiças.

A maioria dos super-heróis tem uma origem humana e humilde, o que permite elevar o sonho de que é possível alguém se tornar extraordinário, mas outros traços que advém da construção das personagens são também muito positivos:

– Os heróis são, normalmente, pessoas com a intenção de ajudar os outros, proteger a cidade, vencer os inimigos;

– Os super-heróis ensinam que não devemos baixar os braços e desistir, mesmo que o mundo esteja contra nós. Inspiram as crianças a serem mais corajosas face aos desafios.

– Antes de aprenderem a ser humildes, os heróis são orgulhosos, pensam que podem tudo sozinhos e que tudo depende deles. Permite ensinar que pedir ajuda sempre que tiverem um problema ou desafio é algo muito bom;

– Quase todos os heróis gostam de ciências e enfatizam a importância de estudar, que não basta a força ou rapidez é necessário pensar antes de executar. É necessário raciocínio lógico e estratégias;

– A existência de vilões valoriza o herói, é importante para que a criança perceba que o mal exista e num conflito é possível ser ético.

– Demonstram a importância da família, respeitam qualquer modelo de família, o valor da mulher e da inclusão e o trabalho em equipa. A protecção dos mais fracos e a combater o inaceitável.

– Ensinam que falhar não significa incompetência e os erros acontecem.

Os superpoderes vão além da imaginação, plantam sementes de valores. E tal como tia May  transmitiu ao Homem Aranha, ensine aos seus filhos:

“Quanto maior o poder, maior é a responsabilidade.” 

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.