O barato sai caro

É incrível como há pequenas escolhas que podem vir a ser fundamentais para que determinadas tarefas corram sem quaisquer imprevistos. Falo-vos da escolha de materiais escolares e de escritório que temos em casa para uso diário. Quantas vezes já compraram aqueles lápis de carvão mais baratos que até são 2B, mas depois são tão duros que os miúdos não conseguem escrever com eles? Ou que vêm com o bico todo partido por dentro e cada vez que afiamos, cai outra vez? Cá em casa este tipo de situações começou a tirar-me do sério. Era o lápis, depois as folhas de dossier rasgavam todas nas argolas, tinteiros recarregáveis que, quando os miúdos imprimiam um trabalho, ou ficava com uma qualidade péssima ou, como aconteceu uma vez, a tinta estava seca!

Comecei a pensar melhor nas minhas escolhas/opções. Primeiro, porque cheguei à infeliz conclusão de que o chavão “o barato sai caro” é mesmo verdade. E depois, porque numa casa com 4 filhos, os fins de tarde já são suficientemente caóticos com as tarefas escolares mesmo quando os materiais nos dão a resposta adequada.

Há uns tempos,  quando tentávamos imprimir um trabalho escolar para entregar no dia a seguir (porque os meus filhos lembram-se de tudo à última da hora), a impressora não dava nada. Aliás, fazia o som de quem estava a imprimir mas a folha saía praticamente em branco. Basicamente fingia que estava a imprimir.

Acabei por sair de casa à noite para imprimir o trabalho e no dia a seguir dirigi-me a uma grande superfície de modo a tentar resolver o assunto. Foi-me explicado que a impressora estava boa e consequentemente o problema seria dos tinteiros. A verdade é que uso há algum tempo tinteiros recarregáveis, por estes serem aparentemente mais baratos.

Tinha de comprar tinteiros novos e optei naturalmente pela HP, para fazer pendant com a impressora que tinha em casa. Confesso que fiquei algumas centenas de minutos a falar com o funcionário que me atendeu (fui a verdadeira seca) mas já que ia gastar dinheiro, quis saber tudo sobre as opções que tinha para efectuar a compra acertada e descobri que:

  1. Há tinteiros normais (standard) para quem imprime ocasionalmente, de alto rendimento para quem faz muitas impressões e que tem um custo por página até 50% inferior aos outros.
  2. packs múltiplos, que ficam cerca de 20% mais baratos do que a compra individual dos tinteiros.
  3. packs que incluem tinteiro mais papel fotográfico e que acabam por ficar 30% mais baratos do que a compra individual de cada elemento.

Em casa, coloquei os tinteiros e segui as ordens todas até imprimir a folha de teste, que saiu  P-E-R-F-E-I-TA!

A diferença foi inacreditável! Sem falhas, aliás, o texto agora lia-se a preto, coisa não vista há anos, pois saía cinzento-ratazana com riscas brancas desde que os meus filhos a começaram a usar (confesso que, em parte, achava que a culpa era dos miúdos, devido à má utilização deles).

Experimentei imprimir fotografias a preto e branco, pois não comprei inicialmente o tinteiro colorido e ainda em papel normal de 80g e a impressão saiu impecável.

Claro que, apesar dos descontos, aparentemente estes tinteiros saem mais caros do que alguns de outras marcas ou marcas brancas. Mas no meu caso foi notória a poupança, quer em termos de custo, quer em termos mentais: já não ando a correr para imprimir trabalhos dos miúdos à hora do jantar, deixei de gastar desnecessariamente dinheiro em impressões e gasóleo. Além disso tenho feito imensos presentes, especialmente para a família imprimindo imagens e fotografias em casa.

Mesmo assim, sentia-me um pouco culpada por não estar a reutilizar os tinteiros. Eu sou apologista dos 3R – Reduzir, Reutilizar e Reciclar, tentando-os transmitir aos meus filhos.

Aliás, um dos motivos pelos quais comecei a reutilizar os tinteiros foi a minha preocupação ambiental. Questionei o paciente vendedor no que diz respeito à parte ecológica e expliquei-lhe que me fazia um bocado de confusão o usar e deitar fora, quando na verdade poderíamos reutilizar. Pois justamente, “a cereja no topo do bolo” foi descobrir que a HP desenvolveu um programa chamado “Parceiros Planeta HP” em que é por ela assegurado que nenhum tinteiro vai parar a um aterro ou algo que o valha. Não são reutilizados, mas são reciclados.

Resumindo, poupamo-nos mentalmente, poupamos a nível de custos e poupamos o ambiente.

Como sei que muitos de vocês partilham preocupações semelhantes, vejam mais AQUI.

Depois de comprar os tinteiros aproveitei para fazer uma visita ao corredor das impressoras. Eu adoro gadget, upgrades e oportunidades, por isso vou sempre ver as novidades. Fiquei de olho numa impressora/fotocopiadora/scanner, e foi amor à primeira vista.

hp3

Pequena, gira, wireless e específica para fotos. O jeito que me iria dar.

hp1

No entanto descobri que esta menina (a impressora, não é a miúda) é um dos prémios do passatempo que a HP está a promover no Facebook.

hp2

Por isso, desculpem-me que agora vou escolher umas fotos para partilhar no nosso FB e Insta com a hastag #MelhoresMomentosHP.
A minha impressora é boa mas um “maquinão” destes, caído do céu assentava-me como uma luva.

Agora não digam que vão daqui de mãos a abanar!

Advertisement