Quando são Dois para Um

Escrevi sobre o tema quando as minhas filhas tinham uns 8 meses, agora com quase 2 anos o sentimento é o mesmo…queria ter mais um par de braços para as ter ao meu colo ao mesmo tempo.

Duas para uma… Injusto! Sinto-me com o coração em pedacinhos quando estou com uma ao colo e vejo a outra com o olhar de “gato das botas” a pedir colinho também.

Quando estamos os dois papás em casa é fácil, justo, e tão simples! Vai uma para cada colo, e surge instantaneamente um sorriso no rosto dos 4. Todos rimos, todos nos desmanchamos em gargalhadas fáceis. Mas quando está apenas um de nós é tão difícil! E parece tão injusto.

Já com a comida é igual, e pior mesmo é quando choram ao mesmo tempo. Também vos acontece a vós, mães e pais de gémeos?

Mas como temos de ser práticos, temos de inventar soluções. Com a questão do colo, normalmente coloco as duas juntas na cama, sofá ou mesmo no tapete e brinco com elas ao mesmo tempo, adiando o tão bom e aconchegante colinho para mais tarde, para quando o papá estiver em casa. Com a comida, a minha solução é dar às duas ao mesmo tempo e tem resultado bem, excepto quando estão com horários desencontrados pois nem sempre acordam, ou comem ao mesmo tempo. Quando assim é, demoro o dobro do tempo para tudo. Por vezes dou por mim a pensar que estou a trabalhar numa fábrica de montagem em série!

Quando choram ao mesmo tempo, sinceramente ja tive vontade de chorar e de fugir. Houve mesmo momentos que chorámos as três! Já me senti em pânico de não saber o que fazer, principalmente nos primeiros meses, mas agora é mais fácil. O truque é distraí-las 😉

Depois também vêm aquelas dúvidas parvas no final do dia, será que dei mais atenção a uma que a outra? Será que devia ter dado mais colo a uma delas? Isto atormenta-me todos os dias.

Para além de tudo isto, sinto ainda uma tristeza grande, por não poderem dormir juntas, pois uma acorda a outra e vice-versa. Por vezes tenho de adormece-las até em divisões da casa diferentes. Mas penso que tudo isto faz parte das rotinas de criar duas gémeas… 😉 Mas há dias em que dormem juntas porque elas têm essa necessidade e ainda há dias em que dormimos todos juntos, costumamos chamar a isso um acampamento familiar.

É difícil de gerir o cuidar por igual de uma e outra e de lhes dar o mesmo, mas de uma coisa tenho a certeza, o Amor que sinto pelas duas é igual!

Sem dúvida é bastante difícil ser pais de gémeos de primeira viagem e com poucas ajudas, mas o mais difícil sem duvida é poder dar colo as duas ao mesmo tempo, é ir busca-las a escola e enquanto coloco uma no carro a outra foge e o meu coração para de medo, é chorarem ao mesmo tempo e não conseguir consola-las as duas, é as horas que demoro para adormecer as duas quando estou sozinha, é o acordarem-se uma a hora ao meio da noite e começarem a brincar e já não quererem dormir, é o deitarem a comida, pratos e talheres para o chão na brincadeira, é as birras a dobrar, e tantas coisas faltam por dizer… é difícil mas tem sido a melhor aventura da minha vida. Amor a dobrar e ao mesmo tempo, e o melhor de tudo a cumplicidade entre elas…enche-me o coração.

Apenas para terminar, e em tom de desabafo, os pais de gémeos podiam ter mais um par de braços não acham??? 😉

Mãe das Marias, duas gémeas que nasceram às 25 semanas de gestão, e que, desde então, têm sido o melhor de si, e a sua maior inspiração. Autora, juntamente com o seu marido, do blog Nós e as Marias.

A Débora é uma pessoa simples e humilde, mas com mil e um talentos! Enfermeira competente, entusiasta, carinhosa, incansável e carismática! Ama a viagem que é a vida, com tudo o que isso implica!

1 thought on “Quando são Dois para Um
  1. Mãe de gémeos agora com dois anos de idade. Tudo verdade! Só não entendo porque é que tem que adormecer as bebés…

Gostou deste artigo? Deixe a sua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.