Quanto mais nova a criança maior a sua neuroplasticidade

Quanto mais nova a criança maior a sua neuroplasticidade

Quanto mais nova a criança maior a sua neuroplasticidade

Quem nunca ouviu que os primeiros anos de vida do bebé são super importantes? Quem já deu por si a dizer ‘eles nesta idade aprendem tão depressa’? Com certeza já ouviu expressões que colocam o cérebro como algo ‘plástico’ na fase inicial da vida.

O que será que estas expressões significam?

Quando falamos de neuroplasticidade nos primeiros anos de vida da criança, falamos do quanto o seu cérebro é plástico, moldável, adaptável fisicamente e a nível funcional também. Ou seja, nestes primeiros anos de vida, o cérebro da criança tem uma enorme capacidade de se moldar fisicamente. O cérebro funciona como uma esponja absorvendo informação e criando ligações entre as células que se traduzem nas aprendizagens da criança, no seu  conhecimento. A forma como gere emoções, como usa a sua linguagem, a atenção, a memória e a capacidade de planeamento e decisão, e a forma como se relaciona com as outras crianças e adultos, são exemplos desta aprendizagem.

Termos esta consciência ajuda-nos a perceber a importância de estimular as crianças através de interações positivas com as pessoas que as rodeiam. Devemos proporcionar experiências onde possam adquirir novos conceitos. Onde tenham a oportunidade de relacionar os conhecimentos anteriormente adquiridos com os mais recentes. Tudo porque nestes primeiros anos, o seu cérebro está ‘fresco que nem uma alface’ e muito desperto!

É por este conceito mágico da Neuroplasticidade que é importante que os adultos conheçam o que é esperado ao longo do desenvolvimento dos seus filhos. Só assim poderão também reconhecer os respetivos sinais de alerta. Assim, caso seja necessário, poder-se-á dar início a todo um trabalho de estimulação ou intervenção psicomotora precoce.

Não podia terminar sem ainda realçar outro ponto importante: quando falamos em estímulos, interações ou experiências, não falamos em quantidade mas sim na sua Qualidade!

Psicomotricista e autora do Blog Mais que Especial, na cidade do Porto. Conhecer a Psicomotricidade foi conhecer um grande amor.
Técnica Superior de Reabilitação Psicomotora

À paixão pelo seu trabalho com crianças com necessidades especiais aliou-se a paixão pela parentalidade nas Necessidades Especiais.

Concorda com este artigo? Deixe a sua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.