Bebés no Dentista

Bebés no Dentista

Exagero? Não. Precaução!

Estima-se que, em Portugal, 20% das crianças até aos 3 anos têm cáries, 48% das crianças com 6 anos têm cáries. As Cáries iniciais são facilmente tratáveis sem os meios mecânicos convencionais e irão melhorar a saúde oral do bebé. Sendo o dente de leite tão pequeno e o esmalte ainda imaturo é bem mais fácil as bactérias destruírem o dente.

Cáries

Cáries dentárias precoces, antes dos 3 anos de idade, também chamadas cáries de biberão, por serem originadas pela estagnação do leite sobre os dentes durante longos períodos (normalmente durante a noite).

As Mães/Pais sabem que se deve escovar os dentes mas se ninguém lhes ensinar a técnica não o saberão fazer.
Os bebés não vêm com livro de instruções!

A consulta do bebé é muitas vezes incluída na consulta pós-parto da Mãe e que irá condicionar o resto da vida dos dois. Aconselhada no 1º ano de vida, esta consulta é obrigatória em alguns países.

Se a Mãe não sabe o que pode e deve encontrar na boca do seu bebé como pode ajudá-lo?
Cáries

Lesão de cárie inicial. Considerada por muitos defeito de esmalte pode ser facilmente tratada e não crescer mais. Para uma boa escovagem em bebés bastam 15 segundos eficazes. Levante o lábio superior e escove os dentes.

Vantagens de ir à consulta do bebé, ou seja consulta dentária antes dos 3 anos de idade:

  • Nesta 1ª consulta a Mãe/Pai vai aprender Higiene, Postura, rotinas, dieta/alimentação, hábitos (chucha) e o que deve esperar do seu bebé.
  • O Médico Dentista irá avaliar a saúde oral do bebé (gengiva, freios, alimentação e hábitos).
  • Todas as dúvidas serão resolvidas e quando se iniciarem as evoluções na boca do bebé, a Mãe sentir-se-á mais segura e qualquer alteração é identificada mais precocemente.
  • Mantendo as visitas regulares à Clínica a criança não irá estranhar ou questionar quando for necessário uma abordagem mais invasiva por ser um ambiente conhecido.
  • Esta consulta normalmente de “conversa” irá prevenir cáries, má posição dentária e promover o crescimento equilibrado dos ossos da face.
O que podemos passar aos nossos bebés e que não queremos?

Além da predisposição genética para certas doenças existem hábitos ou bactérias que podemos evitar transmitir. Sim, claro, todas sabemos que a higiene é fundamental mas no dia-a-dia há “coisas” que nos escapam.

Não sendo este o artigo mais “educado” vou perguntar…

  • Lava as mãos com sabonete após a ida à casa-de-banho? 

Pois é… A Candidiase é frequente na mulher e provoca os “sapinhos” no bebé. Informe quem cuida do seu bebé. Os bebés têm a saliva muito imatura, sem defesas e esta contaminação irá incomodar o bebé, com dor e dificuldade na alimentação.

  • Tem cáries na sua boca?

Saiba que ao beijar o seu bebé (na boca) ou provando da mesma colher ou pondo a chucha na sua (adulto) boca está a contaminar, com as bactérias que provocam cárie, a boca do seu bebé.

  • O leite, até o Materno, pode provocar cáries e por isso o bebé deve escovar os dentes após as refeições. Por ser hábito adormecer a comer ou até comer durante a noite o risco de cáries aumenta. Deve ter cuidados extra como retirar as refeições durante a noite, dar água após o leite, passar um toalhete/algodão sobre os dentes da frente (basta levantar o lábio superior), todas as tentativas são válidas…
  • As bactérias responsáveis por alguns tipos de otites ou infecções respiratórias foram encontradas em dentes cariados, podendo assim estabelecer-se uma relação.
TOP 5 do que fazer ao seu bebé:
  1. Massajar as gengivas antes de nascer o 1º dente; quando nascer já saberá e o bebé já está habituado à higiene oral
  2. Quando nascer o 1º dente cuidado com a alimentação nocturna; se puder acabe com ela
  3. Chucha só para dormir. Não serve para passear!
  4. Estimule correctamente os músculos da face do seu bebé
  5. Infeções cruzadas nem pensar; ex: troca de talheres entre pais e filhos.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    • Rita Sousa Tavares em

      Bom dia, Grace!
      A idade de “trocar” dentes varia de criança para criança. As crianças que têm problemas dentários alteram o processo de “troca” de dentes.
      No entanto, há muitas crianças saudáveis cuja mudança se inicia aos 4 e outros há que só aos 7 anos.
      Vigie e escove bem todos os dentes da boca do seu filho. Aos 4 anos ainda é muito novo para ter destreza a lavar todos os dentes que tem na boca e com a chegada dos dentes definitivos a escovagem complica-se.

  1. Pingback: Será possível evitar Aparelhos Ortodônticos? | Up To Lisbon Kids

  2. Boa tarde Doutora mais uma vez 😀 os dentes de leite da minha filha estão a abanar e um deles (o que abana mais) não cai mas o que vai nascer já está atrás a romper a gengiva. Devo ir com ela ao dentista para tirar o de leite? Obrigada

    • Rita Sousa Tavares em

      Susana, pela minha experiência se o dente abana vai cair.
      Assim, deve estimular a mastigação, trincar e morder fruta e pão.
      Demora algum tempo mas acho muito agressivo tirar um dente que está a seguir o seu percurso normal. Nesta fase a criança tem tendência a “proteger” a zona durante as refeições e na escovagem, insista para morder, abanar e escovar.
      Em muitas crianças, quase poderia dizer a maioria, o dente definitivo nasce atrás do dente de leite. É fundamental educar a criança a mastigar muito e bem é sempre de boca fechada. Estes exercícios desenvolvem os músculos da boca, inclusive da língua, e permitem o melhor posicionamento dos dentes.
      Bons exercícios…

  3. Ola Dra. Rita!
    Eu lavo os dentes da minha filha de 14 meses de manhã quando acorda, a seguir ao almoço e depois do jantar/antes de se deitar, parece-lhe uma boa rotina?
    Ela ao almoço come sólidos, mas ao jantar só come sopa e fruta.
    Não sei se estou a lavá-los da melhor forma possível, coloco a quantidade de pasta do tamanho da unha do dedo mindinho dela, escovo-lhe em cima, em baixo e pronto.. N passo c água a seguir, ela come e bebe a água.. Como faço sendo ela tão bebe que ainda não sabe mandar a água fora?

    • Rita Sousa Tavares em

      Raquel, a sua rotina é a ideal. Não necessita de água. Pode escovar os dentes no quarto onde terá mais condições para segurar a sua filha no colo. Escove junto à gengiva sempre. Deve levantar o lábio superior para o melhor acesso aos dentes. Os alimentos líquidos também provocam desmineralização dos dentes (cáries). Aliás, só a água não provoca cáries…
      Evite a alimentação nocturna e as infecções cruzadas e comida só as refeições. Vai manter o sorriso da sua filha liiiiindo!

  4. Este artigo tem imenso interesse! Estou certa que há imensas pessoas que ignoram (até ler esta peça) o quão importante é a habituação da higiene dos dentes desde tão tenra idade. De facto, fazendo esta profilaxia, aposta-se logo numa melhor qualidade de vida em termos de saúde oral o que, caso não ocorra, poderá também ocasionar outros problemas de saúde. Muito bom artigo. Vou partilhar. Já.

  5. Bom dia Gostaria de saber o que tem a dizer sobre o chuchar no dedo. A minha filha tem 6 anos e não consegue deixar de chuchar no dedo. Agora estão os dentes de leite a cair mas mesmo assim ela continua. Ela tem os dentes da frente em baxio virados para dentro não sei se por chuchar no dedo ou não. Mas quando nascerem os definitivos têm tendência para ficar tambem virados para dentro? Obrigada

    Susana Costa

    • Rita Sousa Tavares em

      Susana, o hábito de chuchar no dedo é provavelmente o mais difícil de retirar. Sem dúvida que altera a posição dentária e esquelética (ossos) e agrava com a idade. Existem técnicas que atenuam a alteração da posição dentária e óssea. Na minha opinião deve dar orientação à sua filha, nunca criticando ou expondo-a, de forma a que o hábito se vá reduzindo. Deve promover o descanso, confiança, atenuar inseguranças e conversar muito. Este hábito vem normalmente da vida intra-uterina, há mais familiares nesta situação e é claramente um calmante e relaxante. Colocar um aparelho só será produtivo quando existe vontade por parte da criança. Deve incentivar a sua filha a mastigar de boca fechada, ter sempre o nariz limpo, mastigar alternadamente de cada lado entre outros exercícios que permitem o crescimento equilibrado da boca.