Calor(ias) do Natal

Esses bichinhos chamados calorias que nos encolhem as roupas dentro do armário, atacam também os armários das nossas crianças. Não há naftalina que lhes valha. São um público de risco, até nisto…

A verdade é que o Natal é uma época de desejos e devaneios e como todo o nutricionista apregoa, “as catástofres alimentares devem ser guardadas para dias festivos”.  Festa é Festa e é sinónimo de empaturranço na maioria dos casos. Se existe uma regra que é religiosamente cumprida, é esta.

A boa notícia é que o sedentarismo é característico dos adultos e não ataca a criançada. Aliás, o número de crianças presentes na sua Festa de Natal parece ser inversamente proporcional ao nível de sedentarismo presente, por isso aproveite a época e encha a casa de primos, amigos e vizinhos e deixe-os brincar, correr e saltar à vontade. Não valem as playstations, os tablets e os super telemóveis. Transpirar é a palavra chave.

De qualquer maneira, vou deixar-lhe algumas dicas para que a catástrofe alimentar seja minimamente controlada e sobretudo um conselho: Não obrigue a sua criança a comer tudo.

Se a preparação da comezaina está por sua conta, use e abuse de técnicas culinárias saudáveis.

Inicie a refeição com sopa de leguminosas como o feijão, o grão e as ervilhas que devido ao alto poder saciante faz destas sopas as melhores amigas para os dias de comilanço. Se a sua criança gosta de trincar pode oferecer umas tostinhas integrais ou pão escuro a acompanhar.

Os estufados, grelhados, assados sem gordura são ideias para a época e sempre acompanhados de legumes e saladas frescas. Porque não fazer um puré de castanhas bem aveludado para acompanhar o peitinho de peru assado no forno e uma salada? Ou um arroz com couve ou outra hortaliça a gosto. O importante é que resulte num prato muito alegre e colorido para os miúdos. Lembre-se que os olhos também comem.

Para beber experimente água, águas aromatizadas e sumos naturais em vez dos habituais refrigerantes carregados de edulcorantes e açúcares.

À Sobremesa ofereça vegetais adocicados, espetadas de fruta e sobremesas de gelatina e fruta sem açúcar.

Os pais devem ser o exemplo: comer devagar e desfrutar dos aspetos sociais, afinal de contas o que é importante é o convívio com a família e amigos e não só a comida. É muito importante que a criança aprenda este conceito. E não se esqueça de brincar com eles, é Natal e o Natal fica gravado pelos bons momentos em família.

Por Carolina Fernandes, Nutricionista e Coordenadora de Produção da Bebé Gourmet
Para Up To Lisbon Kids®

Todos os direitos reservados

imagem capa@jonnyskids

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.