18 dicas para superar uma gravidez em repouso absoluto ♡

Passar a gravidez inteira ou parte dela de cama desvirtua completamente aquilo que se presume ser um estado de graça. Toda a magia, alegria e planos caiem por terra quando nos dizem que se tem que fazer repouso absoluto durante TODA a gravidez. Todos esses sentimentos são substituídos por uma preocupação e angustia constantes de que algo possa acontecer ao bebé aliado ao tédio/tormento de termos que estar confinadas aos escassos metros quadrados que ocupa uma cama. Não é fácil!
Por muita força de vontade que se tenha há dias difíceis. Ao fim de algumas semanas deitada começa o desespero, e se se pensa no tempo que falta para o parto, então os dias custam muito a passar.
O principal, há que ter paciência, muita paciência.

De acordo com a minha experiência, deixo umas dicas para que os dias se tornem menos penosos e tudo seja mais fácil e melhor, espero que úteis e que ajudem:

  • Pedir ajuda: no meu caso e por causa da Baby M. a minha mãe veio morar cá para casa. Gerir uma bebé, à data do descolamento, com 13 meses, uma acamada e toda uma casa, tornou-se tarefa complicada só para o pai, portanto, há que pedir ajuda à mãe, à sogra, à irmã, à cunhada, prima, amiga, a quem quer que seja;
  • Cama articulada: a cama articulada dá um conforto superior ao da nossa cama. O facto de subir e descer em altura, levantar e deitar as costas, faz com que sejam feitos menos movimentos, e não passamos o dia inteiro a ajeitar as almofadas nas costas para obter maior conforto. Caso haja espaço, aconselho a pôr a cama articulada na sala. A sala é o espaço onde uma pessoa passa mais tempo e onde tudo acontece. Com esta opção, passamos menos tempo sozinhas e mais com a família.
  • Trabalhar: tive a sorte da minha empresa permitir que trabalhasse a partir de casa e trabalhei até ao dia em que o bebé nasceu. Embora nem todas as entidades patronais permitem esta situação, deve tentar manter-se no ativo, pois o facto de trabalhar faz-nos sentir úteis e principalmente ocupadas.
  • Navegar pela Internet: Pegar num portátil e navegar à procura de informação, para falar com amigos e familiares, enviar e-mails, ordenar aquelas fotografias há muito desarrumadas, ler notícias, comprar o enxoval do bebé, etc….
  • Cozer/Bordar/Crochet: Quem não sabe, esta poderá ser a altura para aprender, além de entreter pode fazer-se um enxoval com alguma peças personalizadas para o bebé.
  • Desenhar/Pintar: despertar o Picasso que está dentro de nós;
  • Participar em algumas tarefas domesticas: sim é possível, dobrar meias e cuecas 🙂 descascar legumes, fazer as compras on-line, organizar a ementa semanal.
  • Ler: revistas, os livros em atraso até porque depois do bebé nascer fica mais difícil ler quanto se desejaria.
  • Pôr filmes e séries em dia.
  • Fazer Jogos: no papel, no telefone, em consola, de preferência jogos de memória para ajudar a mente que com a gravidez se torna preguiçosa e distraída.
  • Escrever: uma carta, um diário, um blogue 🙂 vai ser bom recordar e mostrar ao bebé. Foi assim que nasceu o meu blogue que me ajudou TANTO;
  • Tempo para os filhos (Para quem tem filhos) : Reservar todos uns dias um bocadinho do dia só para eles, ver um filme, fazer um desenho, fazer uma sesta, qualquer coisa desde que seja algo só mãe e filhos.
  • Receber visitas: uma lufada de ar fresco, mas fica o aviso, nem todos os familiares e amigos vão tirar um bocadinho do seu tempo para o fazer. Não há que ficar triste, cada um tem a sua vida.
  • Exercício físico: Por incrível que pareça a sensação de cansaço aumenta muito, os músculos, o coração e os pulmões têm menos uso, logo ficam mais preguiçosos, num das muitas estadias no hospital fiz fisioterapia e aprendi a fazer exercícios na cama, há que falar com o médico assistente e perguntar se se pode fazer algum tipo de alongamento ou exercício que ajude quer à circulação quer aos músculos.
  • Beber muita muita água: Ficar deitada o dia inteiro pode reduzir o ritmo da digestão e prender o intestino.
  • Manter os horários de sono: Evitar dormir muito durante o dia é preferível fazer uma sesta depois de almoço para evitar que se passe parte da noite em claro. Não dormia durante o dia mas mesmo assim passava a noite em claro, baby V. adorava noitadas.
  • Conversar: Eu passava muito tempo sozinha e havia dias que tinha muita necessidade de falar, também havia dias que não me apetecia dizer nada, mas é importante falar do que sentimos.
  • Boa disposição: Tentar manter sempre um sorriso e boa disposição, até porque esta aventura vai ter um final feliz.
Repito, não são dias fáceis, mas há que evitar fazer todos os dias a mesma coisa, tentar que os dias sejam diferentes, dentro do possível tentar desfrutar ao máximo deste tempo e pensar que cada dia que passa é um dia a menos para ver a cara do bebé e para tê-lo nos braços.

A todas as mães que presentemente se encontrem nesta situação um beijinho do tamanho do mundo.
E muita força.

 

Por Vanessa Muchagata, originalmente postado em Crónicas de Uma Grávida acamada,
para Up To Lisbon Kids®

 

Todos os direitos reservados

 

imagem de capa@mamaeonline

Sou advogada, sou casada, sou Mãe da Madalena e do Vicente e talvez seja essa a minha melhor definição.

Ter-vos aqui comigo a dividir momentos da minha vida e da vida dos meus filhos, a lerem esta construção cheia de amor e erros deste que é o desafio de ser mãe de alguém, é muito bom.

Em que é que está a pensar?

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Instagram did not return a 200.