Estamos grávidos

Estamos grávidos. O que esperar durante a gravidez?

Estamos grávidos.

O que esperar durante a gravidez?

A gravidez é sem dúvida um dos momentos mais intensos da vida da mulher e do casal, repleto de alegria emoções mas também muitas dúvidas e ansiedades.

Durante os nove meses o corpo vai-se modificando. O estado emocional também. Na verdade é uma nova vida que está a crescer dentro do ventre materno.

1º Trimestre

É um período de grande ambivalência emocional, o corpo começa a mudar, mas ainda é difícil representar mentalmente o bebé. As sensações nem sempre agradáveis (sono, enjoos, …).

Ao longo da gravidez vão acontecendo vários sentimentos e emoções. As alterações de humor mais marcantes acontecem, regra geral, no 1º trimestre

No primeiro trimestre é importante aceitar a gravidez, isto é, aceitação do feto, das mudanças que o novo estado implica e a própria maternidade. Este período e caracterizado por muitas ambivalências, mas a confirmação definitiva do estado da gravidez ajuda a ultrapassar estas ambivalências.

2º Trimestre

As mães sentem o bebé a mexer por volta da 20ª semana, é uma emoção bastante significativa. O bebé que mexe, começa  a ser  fortemente  idealizado e  representado  “na cabeça” dos pais, é um período  de  maior  energia e bem-estar  com  aumento da líbido.

No segundo trimestre é necessário aceitar a realidade do feto. Inicialmente a mãe concebe o bebé como parte de si e centra-se nas transformações do seu corpo. A sensação real do bebé dentro de si é o ponto de partida para a diferenciação mãe-bebé é fundamental para a ligação materno-fetal, a preparação para o nascimento e separação física do parto.

3º Trimestre

Os movimentos do bebé acentuam-se ainda mais e são percebidos pelo  contato corporal, sendo por vezes visíveis, estes  movimentos representam, do ponto de vista psicológico, a presença viva do filho na vida do casal.

No terceiro trimestre e puerpério é fundamental aceitar o bebé como pessoa separada, aceitar que embora a existência do bebé possa ser gratificante para a mãe, ele existe para além dela e deve ser aceite enquanto pessoa separada, com características e necessidades próprias.

Durante a gravidez é tempo de reavaliar e reestruturar a relação com os pais:

  • é necessário integrar as experiências positivas e negativas que teve como filha.
  • (Re) negociar com os pais uma forma de equilíbrio entre o apoio e autonomia
  • Aceitar a ajuda mas de uma forma breve e transitória.

Na relação com o cônjuge/companheiro, é necessário integrar um novo elemento na sua relação:

  • Reajustar a relação do casal no plano afetivo, na rotina diária e do relacionamento sexual.
  • Devem passar de uma aliança conjugal para uma aliança parental onde a palavra-chave é a partilha.
  • É necessário integrar na sua identidade o papel, função e significado de ser mãe.
  • Reavaliar as perdas e ganhos que a maternidade trouxe e aceitar as mudanças, adaptando-se de acordo com a sua própria identidade.
  • Integrar a ideia de mais um filho como outra pessoa separada, não o assimilando à identidade dos outros filhos, ajudar a família a preparar-se para a chegada de um novo elemento.

Estamos Grávidos

O pai também engravida. Este compartilha expectativas e fantasias em relação ao bebé, elaborando dentro de si uma relação com a criança e com a sua paternidade e tem um papel fundamental de suporte e promoção do bem-estar da mãe e bebé.

Por tudo isto, a gravidez é vivida a três.

 

Joana Duarte

A Psicomindcare pretende Ser e Fazer diferente, ao prestar serviços de psicologia de qualidade a baixo custo.

A PsicoMindCare é constituída por uma equipa de técnicos com várias valências e tem como principal missão responder às necessidades sentidas nas comunidades, sejam elas as famílias, escolas ou organizações, possibilitando serviços especializados na área da saúde a quem mais precisa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.