Porque levo o meu filho ao psicólogo

Porque levo o meu filho ao psicólogo e ele só brinca?

Porque levo o meu filho ao psicólogo e ele só brinca?

Esta pode ser uma conversa, entre os pais e as crianças, depois de uma ida ao psicólogo:

Pai/Mãe – O que fizeste hoje no psicólogo?

Criança – Hoje foi muito divertido, brincamos muito.

Pai/Mãe – Se é para brincar, brincas em casa!

Mas afinal porque é que os psicólogos brincam com as crianças?

Para os pais pode parecer uma simples brincadeira, mas é no brincar, que o psicólogo, consegue comunicar “na mesma linguagem” com uma criança.

O trabalho realizado com crianças, em consultas de psicologia, tem como objectivo conhecer a sua vida mental.  Devido à sua imaturidade cognitiva e psicológica, as crianças não têm o mesmo entendimento do que passa à sua volta e não têm a mesma capacidade de comunicar como os adultos. É no brincar que mostram o que se passa dentro da sua cabeça. Assim quando algo não está bem, devemos estar atentos ao que isso quer dizer, e procurar dar-lhe um sentido.

Um problema, significa uma dificuldade que a criança tem para lidar com alguma situação da sua vida.

É esse problema que pode levar a situações como por exemplo, défice de atenção, hiperactividade, irritabilidade, isolamento social, birras constantes, comportamento desafiante, ansiedade ou depressão, que em psicologia chamamos de sintoma.

É com o psicólogo, e através do brincar a dois, de forma estruturada e assente em técnicas especificas para cada criança, que ela vai desenvolvendo soluções para os seus problemas. Este brincar tem um sentido, tanto para a criança, como para o psicólogo. Quando a criança brinca em consulta, é-lhe dado um espaço só seu e único, de criatividade e de entrada no mundo da fantasia e de liberdade, onde tudo é possível e tudo se resolve.

Para terminar gostava de partilhar um exemplo de uma menina de 4 anos que não fazia cocó na sanita quando o pai lhe sugeria ou quando ele estava em casa. Em consulta a menina criou uma história em que as personagens eram reis, rainhas e princesas. Durante a sua história as suas personagens zangaram-se, lutaram e depois fizeram as pazes. Fui acompanhando o seu enredo, e dialogamos até ao fim da sua história. Desde esse dia a menina passou a fazer na sanita. Este exemplo mostra como no brincar, com o psicólogo e com as técnicas adequadas e individualizadas, as crianças podem resolver os seus conflitos.

 

Pedro Amorim, Psicólogo Clínico e Psicoterapeuta na Psicomindcare

A Psicomindcare pretende Ser e Fazer diferente, ao prestar serviços de psicologia de qualidade a baixo custo.

A PsicoMindCare é constituída por uma equipa de técnicos com várias valências e tem como principal missão responder às necessidades sentidas nas comunidades, sejam elas as famílias, escolas ou organizações, possibilitando serviços especializados na área da saúde a quem mais precisa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Instagram did not return a 200.