Ter um irmão mais velho

Tenho um irmão mais velho.
Quando nasci mudei o mundo dele. Estava habituado a ser o único e teve de aprender a ter-me por perto.

Não me lembro de o ter conhecido, para mim esteve sempre lá.
A fazer-me companhia quando víamos os desenhos animados sentados no penico em frente à TV.
A partilhar pipocas na cama dos pais.
A escrever com canetas de feltro na parede acabadinha de pintar.
A revirar os olhos quando fazia danças de menina.
A fazer-me rasteiras no corredor de casa só para me ver cair.
A soprar a minha ferida do joelho para ver se deixava de me doer.
A tapar os ouvidos quando cantava no carro e inventava uma versão penosa por não dominar o inglês.
A dar-me a mão para atravessar a estrada.
A ajudar-me na preparatória quando os rapazes mais velhos nos roubavam a bola.
A segurar-me as pernas para o meu primo me fazer cócegas nos pés com uma pena.
A irritar-se por ser tão bem comportada.
A mostrar-me como se jogava na Sega e, sem perder a paciência, explicar outra vez porque ia perdendo vida atrás de vida.
A desafiar-me, sempre (obrigadinha por me teres feito provar-te que conseguia fazer xixi de pé como tu, o resultado foi o óbvio…).
A fazer-me sentir integrada no grupo só de amigos, todos mais velhos como ele.
A dar-me boleias quando não conduzia.
A perguntar-me se a roupa ficava bem antes de sair de casa.
A escrever como ninguém (por que é que deixaste de escrever?).
A passar-me o bichinho pela língua inglesa.
A fazer-me saber de cor todas as músicas dos Queen.
A aturar-me a pedir para me gravar cassetes, depois mini discs, Cds e a sacar músicas e filmes da net.
A vê-lo crescer e amar e estar lá no dia mais feliz da vida dele – o casamento mais divertido a que fui.
A ser pai e dar-me o privilégio de ser tia da bichinha mais linda da minha vida.
A ser um tio babado, dos que brinca – que bom que é ver-vos juntos.
É bom ter um irmão mais velho.
Nem sempre andamos lado a lado mas, mais tarde ou mais cedo, sincronizamos os passos para voltarmos a estar onde devemos – presentes na vida um do outro.

Por Marta Coelho para Up To Kids®
Todos os direitos reservados

imag@banco de imagens da autora

MÃE DE UMA MENINA, É PARA E POR ELA QUE ESCREVE SEMANALMENTE, PASSANDO PARA PALAVRAS OS MAIORES SEGREDOS DO VERBO AMAR.

Autora orgulhosa dos livros Não Tenhas Medo e Conta Comigo, uma parceria Up To Kids com a editora Máquina de Voar, ilustrados por aRita, e de tantas outras palavras escritas carregadas de amor!

Gostou deste artigo? Deixe a sua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.