arriscar-viver

arriscar-viver

imagem@AmandaCass

Arriscar Viver

Num vídeo motivacional de título Life=Risk (Vida=Risco), encontrei a motivação para me arriscar a falar do risco que é a vida. Ainda pensei fazer um seguro de acidentes pessoais antes de me lançar à escrita, mas depressa desisti da ideia para saborear o risco que seria falar desta arriscada aventura que é viver, sendo mãe ou pai.

 

 

Era uma vez um homem que, por medo de arriscar, decidiu viver o resto da sua vida de forma segura. Mas, mal tomou esta decisão, perguntou-se a si mesmo se não estaria a correr o risco de desperdiçar o doce sabor do desconhecido. Ainda assim, seguiu decidido a viver de modo protegido e seguro, fazendo tudo para não correr riscos.

No primeiro dia, acordado mas ainda na cama, pensou que talvez fosse melhor manter-se deitado e não se levantar, pois se o fizesse arriscar-se-ia a tropeçar nos chinelos e, quem sabe, cair e bater com a cabeça na mesa-de-cabeceira, ficando inconsciente. Mas, com medo de arriscar ficar deitado, lá se levantou por achar que não deveria ficar assim todo o dia, sob pena de correr o risco de ficar com uma atrofia muscular por falta de movimento.

O momento seguinte foi dominado pela indecisão sobre tomar ou não tomar duche. Decidiu entretanto que não iria tomar duche, pois dessa maneira não estaria sujeito a escorregar na banheira e a fazer algum traumatismo. Mas enquanto pensou nesta possibilidade, uma outra o invadiu – lembrou-se que não tomando duche se arriscaria a contrair alguma infeção por falta de higiene. E após este momento, já quase encurralado pelas armadilhas contraditórias do seu pensamento, sentou-se num banco perto da janela do quarto que dava para a rua. Ao abrir a cortina, conseguia ver as crianças a brincar no pátio lá fora com os seus skates e patins-em-linha fazendo manobras arriscadas, e os carros a circular audazmente lado a lado, e as pessoas a andar a pé tão próximas umas das outras, os pássaros a voar em bandos a alta velocidade tão perigosamente, as flores a exibir as suas cores e os seus aromas sujeitas ao risco das invasões dos insetos e aos destruidores pingos grossos da chuva; e nesta envolvência, já consciente da situação, concluiu que não havendo na vida nada que não envolva risco, não poderia continuar a viver condicionado pelos medos do caminho, mas sim pelos destinos que o chamavam, pois se assim não fosse, arriscar-se-ia a nunca ser feliz.

Só poderemos chegar a beber a água fresca da fonte se arriscarmos fazer o caminho até ela da seguinte forma: mais focados nas virtudes da água fresca do que nos buracos que, porventura, aparecerão na estrada que a ela conduzem. O grão de trigo só germina porque o agricultor, sem medo do que possa destruir o grão antes da germinação, ainda assim arrisca deitá-lo à terra. Apesar da consciência que temos de haver possíveis contratempos, é o foco intenso que colocamos no objetivo, que nos conduz onde queremos e nos liberta da paralisia do medo. Se, com medo, nunca se lançar o grão à terra, nunca haverá colheita. Se, com medo, nunca se der o primeiro passo, nunca se chegará à fonte…

Deixemo-nos atrair por tudo o que faz sentido para nós e se alinha com a pessoa que somos. Façamos a nossa parte com perseverança e resiliência e dediquemos os nossos recursos aos projetos que nos alimentam. Façamos planos e tomemos as precauções necessárias. Tomemos a decisão consciente de fazer o caminho até à fonte de água fresca, mas sempre mantendo o foco na importância que tem para nós a água. Assim, mantendo viva em nós a relevância do destino, conseguiremos extinguir os medos do caminho, sendo então fácil arriscar e usufruir da liberdade de uma escolha consciente e pró-ativa.

Tu não controlas todas as variáveis, por isso não esperes que todos os semáforos desde a partida até ao destino estejam verdes para dares o primeiro passo. Confia hoje, confia novamente amanhã e torna a confiar. A confiança é o motor que nos faz arriscar. Faz a tua parte, arrisca. Desse modo estarás a informar tudo e todos à tua volta do quanto queres ser feliz e, então, estarás a atrair o que procuras. Por isso se se diz que “quem procura, acha” e ainda que “a sorte protege os audazes”. Se dentro de ti sentes hoje um chamamento, confia e arrisca. Só arriscando, conseguirás verdadeiramente chegar a ‘Viver’. Assim, os nossos filhos, que estão sempre de olho em nós, vão aprender a confiar, a caminhar e a abraçar a vida sempre com um sorriso!

 

Por Telmo Marques, para Up To Kids®

LER TAMBÉM…

Princípio da caneta verde

Adiar

Andamos a Sensibilizar bem as nossas crianças e jovens?

1 thought on “Arriscar Viver

Comments are closed.